Laticínios fermentados podem proteger contra ataque cardíacoNotícias de Saúde

Segunda, 05 de Novembro de 2018 | 42 Visualizações

Fonte de imagem: Huffington Post

Um estudo recente revelou que o consumo elevado de produtos láteos fermentados por homens poderá oferecer proteção contra ataques cardíacos, em relação a um baixo consumo dos mesmos.
 
O estudo foi efetuado por uma equipa de investigadores da Universidade do Leste da Finlândia, e descobriu ainda que, por outro lado, um consumo muito elevado de produtos láteos não fermentados está associado a um maior risco de doença coronária.
 
Estudos anteriores já tinham demonstrado que o consumo de laticínios fermentados, como iogurte, kefir, quark e queijo eram benéficos para os níveis de lípidos no sangue e para o risco de doença coronária. No entanto, há poucos estudos sobre este tópico.
 
Para a sua investigação, que consistiu em verificar a associação entre o consumo de laticínios fermentados e não fermentados, os cientistas recrutaram cerca de 2.000 homens. Os hábitos alimentares dos homens foram avaliados na altura do recrutamento, entre 1984 e 1989. 
 
Os participantes foram posteriormente seguidos durante uma média de 20 anos. Durante aquele período, foram identificados 472 casos de evento de doença coronária. 
 
A equipa dividiu os homens em quatro grupos, com base no consumo de diferentes produtos láteos com menos de 3,5% de gordura, e comparou os grupos que apresentavam o consumo mais elevado e o mais baixo, tendo considerado vários fatores relacionados com o estilo de vida e nutrição.
 
Foi observado que o risco de doença coronária era 26% inferior no grupo que apresentava o consumo mais elevado de laticínios fermentados, em comparação com o grupo onde o consumo era menos. O leite azedo (o estudo foi efetuado na Finlândia) era o laticínio fermentado de baixa gordura mais consumido.
 
O consumo de produtos láteos fermentados ricos em gordura, como queijo, não foi associado ao risco de doença coronária. No entanto, o consumo muito elevado de laticínios não fermentados, como leite, foi associado a um aumento no risco de doença coronária, uma associação que não se verificou com os níveis baixos.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “British Journal of Nutrition”

Notícias Relacionadas