Jejum alternado de 24 horas pode ajudar a reverter diabetes tipo 2 em alguns casosNotícias de Saúde

Sexta, 26 de Outubro de 2018 | 121 Visualizações

Fonte de imagem: Healthline

Três doentes fizeram jejum em dias alternados ou três vezes por semana durante um período que variou entre os sete e os onze meses. Todos reduziram as leituras de glicemia e, ao fim de um mês, já nenhum tomava insulina.

O jejum terapêutico alternado pode ajudar a eliminar a necessidade de insulina e outros medicamentos para baixar o nível de glicose em doentes com diabetes tipo 2. A revelação é feita na revista BMJ Case Reports  por três médicos que testaram esta terapia em três doentes, com resultados positivos.

Os três doentes (todos homens, com idades entre os 40 e os 67 anos) tomavam, por dia, pelo menos 70 doses de insulina. Um deles jejuou em dias alternados durante 24 horas, enquanto os outros dois fizeram jejum três dias por semana. Durante os dias de jejum, estes homens só podiam ingerir líquidos de baixo teor calórico (como água ou chá) e uma refeição também pobre em calorias à noite.

Este programa alimentar foi seguido durante um período que variou entre os sete e os onze meses. A reação ao jejum foi benéfica. Ao fim de cinco dias, um dos doente parou de tomar insulina, tendo o mesmo acontecido aos restantes no final do primeiro mês. Dois dos doentes conseguiram parar de tomar todos os medicamentos para controlar a diabetes que estavam a tomar, enquanto o terceiro interrompeu três dos quatro fármacos.

Os autores do estudo referem também que todos  perderam peso e reduziram as suas leituras de glicemia de jejum média, o que ajudou também a diminuir o risco de complicações futuras. Os doentes deixaram inclusive de injetar insulina e o estudo, apesar de ter sido só observacional, já teve reações positivas, referem os autores.

Caso a caso

O paciente 1 era um homem de 40 anos com diabetes tipo 2 há 20 anos e que tinha também hipertensão e colesterol alto. No início do estudo, este homem tomava metformina, canagliflozina, insulina de ação longa e insulina de ação curta. Depois de jejuar três vezes por semana durante sete meses, este doente interrompeu todos os fármacos, à exceção da canagliflozina.

O paciente 2 era um homem de 52 anos que sofria da doença também há mais de duas décadas. Para além do colesterol elevado e hipertensão, tinha também uma doença renal crónica. À semelhança do primeiro doente, neste caso registou-se um jejum três vezes por semana mas durante onze meses.Este paciente deixou de tomar a dose fixa de insulina.

Com 67 anos, o paciente 3 sofria de diabetes tipo 2 há mais de dez. Após ter jejuado em dias alternados durante onze meses, deixou de precisar dos dois medicamentos que tomava para a diabetes: metformina e insulina pré-misturada.

“O jejum terapêutico é uma intervenção dietética subutilizada que pode fornecer uma redução superior da glicose no sangue em comparação com agentes farmacológicos padrão”, concluem os autores da investigação.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados