Insuficiência cardíaca crónica: como melhorar a qualidade de vida?Notícias de Saúde

Sexta, 02 de Março de 2018 | 33 Visualizações

Fonte de imagem: Body Express

Os pacientes com insuficiência cardíaca crónica poderão beneficiar a sua qualidade de vida com um modelo de cuidados alargado, demonstrou um novo estudo.
 
O estudo que foi conduzido por uma equipa de investigadores liderada por David B. Bekelman, da Faculdade de Medicina da Universidade do Colorado, EUA, observou uma melhoria em alguns problemas relacionados com a doença nestes pacientes, como a depressão e fadiga.
 
A equipa de David B. Bekelman desenvolveu um modelo que complementou o tratamento cardíaco com um enfermeiro e um assistente social, que colaboraram com uma equipa para satisfazerem os sintomas e necessidades psicológicas de 314 pacientes com insuficiência cardíaca crónica.
 
O programa desenvolvido foi denominado Intervenção de Cuidados Colaborativos para Aliviar Sintomas e Ajustar à Doença (Collaborative Care to Alleviate Symptoms and Adjust to Illness Intervention, no seu original em inglês), e abreviado como CASA.
 
Os voluntários foram divididos aleatoriamente em dois grupos, tendo um, de 157 indivíduos, recebido a intervenção CASA, durante três a quatro meses, e os restantes submetidos aos cuidados convencionais. 
 
A intervenção CASA ofereceu ao grupo de intervenção um programa de cuidados que incluía, além do enfermeiro e assistente social, um prestador de cuidados primários, um cardiologista e um médico de cuidados paliativos que em colaboração responderam às necessidades dos pacientes. 
 
Os participantes do estudo foram monitorizados durante o período de um ano. 
 
Como resultado, no grupo de intervenção observou-se uma melhoria na depressão e fadiga nos pacientes, mas não sucederam alterações significativas na insuficiência cardíaca em si, incluindo a dor, falta de ar, e número de hospitalizações. Morreram 10 pacientes no grupo de intervenção contra 13 no grupo de controlo, durante o estudo.
 
Apesar das poucas melhorias observadas na saúde cardíaca, a intervenção CASA foi importante pois aliviou a depressão durante os 12 meses do estudo, largos meses após o fim da intervenção CASA propriamente dita, algo raro noutros estudos sobre o mesmo tema. 

 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “JAMA Internal Medicine”

Notícias Relacionadas