Insónia crónica diretamente ligada a problemas de memóriaNotícias de Saúde

Terça, 21 de Maio de 2019 | 14 Visualizações

Fonte de imagem: Meredith Cary, PsyD

A insónia crónica exerce um efeito negativo direto sobre a função cognitiva nas pessoas de 45 anos ou mais de idade, independentemente de outros problemas de saúde, indicou um estudo.
 
Calcula-se que cerca de 10% dos adultos sejam afetados por insónia crónica.
 
O achado é de um estudo conhecido como Estudo Longitudinal Canadiano sobre o Envelhecimento. Este estudo canadiano pretende seguir, durante pelo menos 20 anos, cerca de 50.000 canadianos com 45 a 85 anos de idade na altura do recrutamento. 
 
O estudo está a ser conduzido por uma equipa de investigadores afiliados em várias instituições de investigação canadianas e irá recolher informação sobre alterações em aspetos biológicos, sociais, médicos, económicos e de estilo de vida de canadianos para tentar perceber o seu impacto sobre a saúde, incapacidade e doenças sobre essas pessoas.
 
Para o estudo, a equipa analisou dados de 28.485 indivíduos com 45 anos ou mais de idade. Os participantes foram atribuídos a um de três grupos diferentes: um grupo de participantes com insónia crónica, um grupo com sintomas de insónia, mas que não se queixava de qualquer impacto funcional durante o dia e um grupo de participantes com uma qualidade de sono normal.
 
Todos os participantes responderam a questionários e foram submetidos a exames físicos e a numerosos testes neuropsicológicos para avaliar diferentes funções cognitivas, assim como a qualidade do seu sono.
 
Como resultado, os participantes do grupo que sofria de insónia crónica revelaram um desempenho pior nos testes, em comparação com os outros dois grupos de participantes.
 
A memória declarativa foi o principal tipo de memória afetado, ou seja, a memória de itens e de acontecimentos. Esta relação manteve-se mesmo após serem considerados outros fatores que poderiam influenciar o desempenho cognitivo.  

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Sleep”

Notícias Relacionadas