Início de diabetes tipo 1 na infância associado a morte precoceNotícias de Saúde

Sábado, 27 de Outubro de 2018 | 4 Visualizações

Fonte de imagem: Diabetes Research Connection

As pessoas com diabetes de tipo 1 apresentam um risco muito maior de morte precoce e de problemas cardiovasculares graves, especialmente se a doença tiver sido diagnosticada antes dos 10 anos de idade, sugere um estudo.
 
O estudo que foi conduzido por Araz Rawshani, da Universidade de Gotemburgo, Suécia, e colegas, seguiu mais de 27.000 pacientes com diabetes durante uma média de 10 anos. Os pacientes foram comparados com um grupo de controlo de mais de 135.000 pessoas sem diabetes.
 
Os resultados da análise dos investigadores demonstraram que em relação ao grupo de controlo, a esperança de vida dos pacientes com diabetes de tipo 1 diagnosticada antes dos 20 anos de idade era em média 16 anos inferior.
 
No grupo de pacientes cuja diabetes de tipo 1 tinha sido diagnosticada numa idade mais avançada, a esperança de vida era em média 10 anos inferior à dos participantes do grupo de controlo.
 
Em comparação com o grupo de controlo, os pacientes com diabetes de tipo 1 diagnosticada antes dos 10 anos de idade apresentavam um risco 30 vezes superior de terem problemas cardiovasculares graves. Nos que tinham tido a doença diagnosticada entre os 26 e os 30 anos, o risco era cerca de seis vezes maior.
 
Porém, “embora o risco relativo de doença cardiovascular aumentasse após um diagnóstico precoce de diabetes, o risco absoluto é baixo”, observou Araz Rawshani.
 
Os pacientes com diabetes de tipo 1 diagnosticada numa idade precoce apresentavam uma tendência quatro vezes maior de morrerem precocemente por qualquer causa, sendo o risco de morte por doença cardiovascular sete vezes maior em relação ao grupo de controlo. Nos casos em que a doença foi diagnosticada entre os 26 anos e os 30, o risco de morte por doença cardíaca ou outras causas triplicava.
 
Considerando que cerca de metade dos casos de diante de tipo 1 são diagnosticados até aos 14 anos de idade, os autores sugerem que se adote medidas como prescrição de estatinas para reduzir o colesterol e fármacos para reduzir a tensão arterial naquela população.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado em “The Lancet”