Idosos: manter boa memória e força de preensão pode evitar incapacidadeNotícias de Saúde

Terça, 30 de Outubro de 2018 | 38 Visualizações

Fonte de imagem: Verywell Fi

A manutenção de uma boa força de preensão e da memória poderão ser a receita para evitar o risco de incapacidade nos idosos, sugere um estudo.
 
Todos sabemos que à medida que envelhecemos, poderemos defrontar-nos progressivamente com uma maior dificuldade de caminhar, manter o equilíbrio, balançar-nos ou manter as competências motoras finas. 
 
Contudo, uma equipa de investigadores da Universidade de Qingdao, China, e da Universidade da Dinamarca do Sul, Dinamarca, sugere que pode ser possível tratarmos aquelas dificuldades antes que se transformem em incapacidades. 
     
Possuir uma boa força muscular, por exemplo, ajuda-nos a manter uma boa funcionalidade. Segundo alguns estudos, é necessário possuirmos um nível mínimo de força para mantermos uma boa função física. Quanto mais fortes são os idosos, melhor capacidade têm de preverem incapacidades no futuro.
 
Para aprofundar esta teoria, e perceber se realmente ser forte pode evitar a incapacidade, uma equipa de investigadores analisou informação de um estudo conhecido como SHARE. O estudo SHARE consistiu numa sondagem efetuada, a cada dois anos, junto de 30.434 pessoas com 50 anos ou mais de idade, da maioria dos países da União Europeia e Israel. 
 
A sondagem incluía informação sobre o estado de saúde, económico e social, bem como sobre as redes sociais e familiares dos participantes. 
 
Os investigadores analisaram as respostas dos participantes em relação às seguintes aptidões: caminhar 100 metros, permanecer sentado duas horas, levantar-se de uma cadeira após muito tempo sentado, subir vários lanços de escadas sem descansar, subir um lanço de escadas sem esforço, levantar os braços ao nível ou acima dos ombros, empurrar ou puxar objetos grandes, pegar em pesos acima de 4,5 kg e apanhar uma moeda pequena de uma mesa. 
 
As respostas àquelas 10 perguntas foram recolhidas em cinco períodos diferentes. Os investigadores analisaram os efeitos da força de preensão e cognição sobre os participantes e concluíram que manter a força de preensão e proteger as capacidades mentais poderá prevenir ou atrasar as incapacidades, prevenir a falta de qualidade de vida, a depressão e demência, e mesmo morte.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Journal of the American Geriatrics Society”

Notícias Relacionadas