Hipertensos: 25% desconhece ter a doençaNotícias de Saúde

Sexta, 19 de Maio de 2017 | 9 Visualizações

Fonte de imagem: To Health

Cerca de um quarto dos hipertensos desconhece que tem a doença, alertam especialistas, a patologia que em Portugal afeta quase metade da população, anunciou a agência Lusa.
 
O Núcleo de Estudos de Risco e Prevenção Cardiovascular da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna refere que 25% dos hipertensos não sabem que têm a pressão arterial muito elevada, o que atrasa o tratamento e pode desencadear complicações.
 
Pedro Marques da Silva, coordenador daquele Núcleo de Estudos, recorda que o diagnóstico atempado permite começar a tempo um tratamento, que pode ser determinante para reduzir um acontecimento cardiovascular, como enfarte do miocárdio ou trombose cerebral.
 
Sobre as razões que levam à falta de conhecimento do diagnóstico, o especialista admite que sejam várias, começando pela tentativa de rejeição por parte do doente. Contudo, os médicos não estarão isentos de responsabilidade, segundo Pedro Marques da Silva, para quem a medição da tensão arterial é muitas vezes feita de forma incorreta.
 
Deixar o doente permanecer em repouso durante cinco minutos, colocar a braçadeira à altura do coração ou escolher para medição o braço com tensão mais elevada são algumas das normas para uma correta medição da pressão.
 
Além dos que desconhecem a doença, há ainda quem não tome a medicação, refere Pedro Marques da Silva. Para isto contribui uma tentativa de negar a doença ou de a considerar um fenómeno normal. Acresce ainda que, por ser uma patologia muitas vezes silenciosa, o doente pode sentir-se bem e não tomar a medicação ou abandoná-la ao fim de algum tempo.
 
“É extremamente frequente o abandono de medicação. Ao fim do primeiro ano, metade dos doentes deixa de a fazer”, referiu o médico.
 
Também a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral veio lembrar que a hipertensão é um fator de risco para outras complicações que está presente em entre 30% a 45% da população geral, aumentando nas populações com mais idade.
 
Hábitos de vida saudáveis, como redução do consumo de sal ou prática de exercício físico são considerados necessários para um controlo da pressão arterial.

Partilhar esta notícia
Autor
Lusa
Referência
Dados do Núcleo de Estudos de Risco e Prevenção Cardiovascular da Sociedade Portuguesa de Medicina I

Notícias Relacionadas