Hipertensão arterial em mulheres na meia-idade pode aumentar risco de demênciaNotícias de Saúde

Segunda, 09 de Outubro de 2017 | 5 Visualizações

Fonte de imagem: Functional Medical System

Um estudo apurou que as mulheres que desenvolvem hipertensão na meia-idade poderão ser mais propensas a sofrerem de demência numa fase posterior da vida.
 
O estudo foi conduzido por uma equipa de investigadores da Divisão de Investigação Kaiser Permanente, Califórnia, EUA.
 
“A hipertensão arterial na meia-idade é um fator de risco conhecido para a demência, mas estes resultados poderão ajudar-nos a melhor perceber quando começa esta associação, de que forma é que as alterações na tensão arterial afetam o risco de demência e quais são as diferenças entre homens e mulheres”, avançou Rachel Whitmer, autora do estudo.
 
Para o estudo, os investigadores contaram com 7.238 pessoas que integravam o Sistema de saúde Kaiser Permanente da Califórnia do Norte. Os participantes tinham tido a tensão arterial medida e efetuado outros exames entre 1964 e 1973, com média de idades de 33 anos e depois com uma média de 44 anos de idade.
 
Cerca de 22% dos participantes apresentavam hipertensão arterial entre os 30 e os 39 anos de idade, sendo 31% nos homens e 14% nas mulheres. Entre os 40 e os 49 anos de idade, a percentagem era de 22%, mas com 25% nos homens e 18% nas mulheres.
 
Seguidamente, a equipa identificou os participantes que estavam vivos e pertenciam àquele sistema de saúde em 1966 e seguiu-os durante cerca de 15 anos com o intuito de verificar quem desenvolvia demência. 
 
Foi observado que durante o período de observação 532 participantes receberam um diagnóstico de demência. 
 
Como resultado, a hipertensão arterial entre os 30 e os 39 anos de idade não foi associada a um maior risco de demência. Mas nas mulheres com idades entre os 40 e os 49 anos a hipertensão arterial foi associada a um risco 65% mais elevado de demência.
 
As mulheres que tinham desenvolvido hipertensão arterial entre os 40 e os 49 anos de idade apresentavam uma propensão 73% maior de desenvolverem demência em comparação com as mulheres que apresentavam uma tensão arterial estável entre os 30 e os 49 anos de idade.
 
Apesar de a tensão arterial ser mais prevalente nos homens, não foi encontrada uma associação semelhante à observada nas mulheres.
 
“São necessários mais estudos para identificar as possíveis vias específicas ao sexo através das quais a tensão arterial elevada acelera o envelhecimento do cérebro”.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Neurology”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados