Grelhado, estufado, frito? Eis os métodos mais tóxicosNotícias de Saúde

Segunda, 01 de Agosto de 2016 | 452 Visualizações

Fonte de imagem: pixabay

A forma como cozinha é quase tão importante como o que cozinha.

Ao fumar, fritar ou grelhar carnes são produzidas substâncias cancerígenas quando os aminoácidos, os açúcares, e creatina reagem às temperaturas elevadas.

Pois é, grelhar a sua carne pode ser tão prejudicial para o seu corpo como fumar, sublinha o site Rodale Wellness, numa publicação onde revela os novos métodos de cozinha que podem deixar a sua comida tóxica.

No topo da lista, é claro, está cozinhar no micro-ondas, de onde os alimentos saem tudo menos naturais.

Deep-fried’, ou fritos a altas temperaturas, é uma das formas menos saudáveis de preparar a comida uma vez que, além de banhar a sua comida em gorduras oxidadas, proteínas desnaturadas, e açúcares, as temperaturas elevadas utilizadas produzem uma série de compostos tóxicos que podem aumentar o seu risco de cancro.

Grelhar a comida até queimar, deixar a comida carbonizada queima as moléculas da gordura tornando os alimentos inflamatórios e com substâncias potencialmente cancerígenas.

O churrasco, apesar de bastante apreciado em Portugal e de ter um bom sabor, também pode provocar alguns problemas graves. Quando as gorduras atingem o carvão, formam substâncias inflamatórias e cancerígenas. Além disso, se usa molhos ‘barbecue’, a maioria tem muito açúcar escondido. Pode conseguir um sabor semelhante grelhando a carne a uma temperatura mais baixa e deixando de lado o molho.

Se para grelhar usar temperaturas muito altas para conseguir deixar a carne ou peixe bem castanhos de todo os lados irá alterar e deixar as proteínas menos naturais mais do que outros métodos culinários. Não faz mal utilizar este método de vez em quando mas não diariamente.

Quanto aos ‘slow-cooking’, salteados, ‘sous vide (cozinhar em sacos plásticos selados a vácuo) ou refogados são métodos mais saudáveis, ainda assim é preciso ter cuidado para não cozinhar demais a comida para não arruinar o seu valor nutricional nem deixar que se formem toxinas

Partilhar esta notícia
Referência
Vânia Marinho

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados