Gravidez: álcool danifica a placenta mesmo na altura da conceçãoNotícias de Saúde

Sexta, 14 de Junho de 2019 | 8 Visualizações

Fonte de imagem: Medical News Today

O consumo de bebidas alcoólicas durante a gravidez foi associado, num estudo, a um fraco desenvolvimento da placenta, podendo causar problemas como restrição no crescimento fetal e baixo peso à nascença.
 
O estudo conduzido pelas investigadoras Jacinta Kalisch-Smith e Karen Moritz da Universidade de Queensland na Austrália analisou o impacto do consumo de álcool sobre a placenta e sobre o desenvolvimento do embrião no estado inicial da gravidez.
 
Para o efeito, as investigadoras usaram ratazanas que foram expostas a álcool na altura da conceção. 
 
“Através de um modelo de ratazanas, avaliámos a capacidade de o embrião se implantar no útero e, mais tarde, a formação dos vasos sanguíneos na placenta”, explicou Jacinta Kalisch-Smith.
 
Assim, a equipa conseguiu estudar as alterações no decorrer da gestação e descobriram que a exposição ao álcool, mesmo que precoce (entre quatro dias antes e quatro dias após a fertilização), restringia o crescimento e função da placenta.
 
“Descobrimos que a exposição inicial ao álcool reduzia a formação de vasos sanguíneos na placenta, e que isso fez com que menos nutrientes fossem fornecidos ao embrião”, divulgou Jacinta Kalisch-Smith.
 
Curiosamente, as placentas de embriões femininos demonstraram uma maior suscetibilidade, com uma redução de até 17% no seu tamanho e de 32% na formação de vasos sanguíneos, limitando a capacidade de transporte de nutrientes pela placenta. 
 
Jacinta Kalisch-Smith explicou que estes resultados são relevantes para a saúde humana pois ajudam a explicar em parte a razão pela qual os bebés expostos a álcool dentro do útero frequentemente nascem com peso baixo, um fator de risco para a diabetes de tipo 2, hipertensão e obesidade na idade adulta.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Development”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados