Governo prorroga contratos de trabalho dos 114 médicos que ficaram sem acesso à especialidadeNotícias de Saúde

Quarta, 04 de Janeiro de 2017 | 17 Visualizações

Fonte de imagem: Employment Rights Ireland

O Governo prorrogou os contratos de trabalho celebrados com os 114 médicos que iniciaram o internato médico em 1 de janeiro de 2015 e que, por falta de capacidades formativas, não tiveram possibilidade de iniciar a formação específica.

Embora saliente o caráter excecional da medida, o despacho dos ministérios da Saúde e das Finanças, publicado hoje no Diário da República, confirma que os médicos nessa situação, e que não se desvincularam até à data, «podem realizar a prova nacional de seriação de 2016, para escolha de vaga de formação específica, sem necessidade de rescisão prévia de contrato» e, «em caso de obtenção de vaga, iniciam a formação específica a 1 de julho de 2017».

A escolha de vaga será realizada em conformidade com as regras, em função do lugar que estes ocupem na lista de ordenação final dos candidatos e de acordo com o mapa de vagas que venha a ser aprovado, esclarece o diploma.

Já nas situações em que estes optem por não se candidatar ao concurso de 2017, para ingresso no internato médico, «o contrato cessa automaticamente, sem quaisquer formalidades», alerta igualmente o normativo que está disponível aqui

Partilhar esta notícia
Referência
Teresa Mendes

Notícias Relacionadas