Governo prepara-se para contratar mais 13 novos médicos dentistasNotícias de Saúde

Terça, 03 de Janeiro de 2017 | 16 Visualizações

Fonte de imagem: nirv-asana

Os cuidados de saúde oral que recentemente foram introduzidos nos centros de saúde nacionais no âmbito de um projeto-piloto desenvolvido pelo Governo vão ser alargados a mais utentes e novas unidades de saúde já este mês. De acordo com a TVI24, o Ministério da Saúde prevê contratar mais 13 médicos dentistas ao longo de 2017.

Para já, estas consultas de saúde oral estavam disponíveis em alguns centros de saúde da Grande Lisboa e do Alentejo para pacientes portadores de diabetes, neoplasias, patologia cardíaca ou respiratória crónica, insuficiência renal em hemodiálise ou diálise peritoneal e transplantados inscritos nos agrupamentos de centros de saúde.

Contudo, já a partir deste mês, e de acordo com o Ministério da Saúde, “deixará de existir limitação da referenciação às patologias consideradas mais relevantes”, passando os médicos de família a poder orientar os utentes que considerem que podem beneficiar de cuidados de saúde oral.

Além disso vão ser contratados durante 2017 mais 13 novos médicos dentistas a alocar a centros de saúde nas regiões Norte, Centro e Algarve. “Assim, no final de 2017 prevê-se que existam no SNS de Portugal Continental cerca de 50 médicos dentistas a exercer a sua profissão nos cuidados de saúde primários, de forma homogénea e em condições semelhantes”, refere fonte oficial do Ministério da Saúde citada pela TVI24.

“Finalmente conhecemos os números com que o Governo se compromete”, comentou o bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), Orlando Monteiro da Silva, que referiu que a tutela nunca foi clara sobre estes dados e a calendarização do projeto-piloto. “Esta rede de 91 profissionais vai ser distribuída pelo país de que forma? Os médicos vão ter assistentes dentários, equipamentos e material?”, recordando que os que já trabalham no SNS têm enviado muitas queixas para a Ordem por falta de equipamentos, materiais e instalações adequadas.

Mesmo com 91 profissionais em 2019, para Orlando Monteiro da Silva esta será “uma rede pequena e restrita que não chega nem a um quarto dos centros de saúde do país”. Além disso, lembra, como há centros de saúde com uma dimensão enorme, com 80 a 100 mil utentes, “um médico dentista para tantas pessoas não dá para nada”.

Partilhar esta notícia
Autor
TVI 24
Referência

Info-Saúde Relacionados