Genes paternos podem contribuir para a obesidade dos filhosNotícias de Saúde

Sábado, 25 de Janeiro de 2014 | 42 Visualizações

Uma predisposição genética à obesidade não se origina necessariamente da mãe, mas também pode ser passada pelo pai. Se este for obeso na concepção, a expressão genética da criança em regiões sensíveis, como o pâncreas e o tecido adiposo, muda. Isso foi relatado por investigadores australianos no "The FASEB Journal".

No estudo, pesquisadores da Universidade de Nova Gales do Sul, em Sydney, cruzaram ratas magras com um grupo de ratos obesos e diabéticos alimentados com uma dieta rica em gorduras, e com um grupo de ratos magros e saudáveis, alimentados com dieta normal. As proles foram examinadas de perto.

Os ratos nascidos de pais obesos responderam mal a mudanças na glicose, mesmo quando alimentados com uma dieta normal. Além disso, sua expressão genética em dois tipos de tecidos, as ilhotas pancreáticas e o tecido adiposo, foi alterada.

De acordo com os pesquisadores, a expressão genética alterada pode aumentar o risco dos filhotes tornarem-se obesos ou envelhecerem prematuramente. Outros genes afetados incluem marcadores para câncer e doenças degenerativas.

O estudo confirma que o pai também pode afetar o risco de obesidade, possivelmente a partir dos primeiros estágios de vida, disse a autora do estudo, Margaret Morris. "Será importante seguir esses achados, e aprender mais sobre como e quando intervir para reduzir o impacto da saúde metabólica paterna ruim sobre a prole".

Saiba mais aqui

Partilhar esta notícia
Autor
The FASEB Journal" / Univadis
Referência
Investigadores da Universidade de Nova Gales do Sul, em Sydney

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados