Ferro: certos suplementos podem promover o cancro do cólonNotícias de Saúde

Terça, 17 de Abril de 2018 | 28 Visualizações

Fonte de imagem: Medscape

Um estudo indicou que dois compostos de ferro comuns podem fazer aumentar a formação de um biomarcador de cancro.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade de Tecnologia Chalmers, na Suécia, em colaboração com a Universidade de Cambridge e o UK Medical Research Council, Inglaterra, o estudo indicou que os dois compostos, conhecidos como citrato de ferro e EDTA de ferro, são bastante usados em suplementos alimentares ou adicionados a alimentos em todo o mundo.
 
O citrato de ferro e EDTA de ferro tinham já demonstrado em estudos anteriores que fazem piorar a formação dos tumores em ratinhos com cancro do cólon. 
 
A equipa propôs-se investigar o efeito da suplementação em doses normais de ambos os compostos em dois tipos de células de cultura cancerígenas humanas. Os efeitos do sulfato ferroso, outro composto ferroso bastante comum, foram também analisados e comparados com os outros compostos.
 
Foi observado que tanto o citrato de ferro como o EDTA de ferro, mesmo em doses reduzidas, provocaram um aumento nos níveis celulares de anfiregulina, que é um biomarcador do cancro. O sulfato de ferro não exerceu qualquer efeito.
 
“Podemos concluir que o citrato de ferro e o EDTA de ferro poderão ser carcinogénicos já que ambos aumentam a formação da anfiregulina, um marcador de cancro conhecido, frequentemente associado a cancro de longa duração com mau prognóstico”, confirmou Nathalie Scheers, autora principal do estudo.
 
Apesar de o estudo ter sido efetuado sobre células de cultura, a autora explica que os resultados poderão ser replicados em humanos, sendo necessária mais investigação.  
 
Existem muitos tipos de suplementos de ferro disponíveis no mercado, baseados em pelo menos 20 diferentes compostos de ferro. A autora recomenda que se continue a seguir as recomendações médicas, mas disse que pessoalmente, se necessitasse de suplementação de ferro evitaria o citrato de ferro.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Oncotarget”

Info-Saúde Relacionados