Fármacos para a próstata associados a risco de diabetes de tipo 2Notícias de Saúde

Quarta, 17 de Abril de 2019 | 19 Visualizações

Fonte de imagem: Medical News Today

Uma equipa de investigadores descobriu que uns fármacos usados no tratamento da hiperplasia benigna da próstata (HBP), que consiste no aumento do volume daquela glândula, podem amplificar o risco de diabetes de tipo 2. 
 
Os fármacos, conhecidos como inibidores da enzima 5-alfarredutase, incluem a finasterida e a dutasterida. Estes fármacos, que são bastante prescritos para a HBP, fazem reduzir a produção dos androgénios, ajudando a tratar sintomas como a redução no fluxo urinário.
 
Estudos anteriores tinham já indicado que os inibidores da enzima 5-alfarredutase poderiam afetar o metabolismo e reduzir a resposta do organismo à insulina, que constitui um sintoma precoce da diabetes de tipo 2.    
 
Para o estudo, os investigadores liderados pela Universidade de Edimburgo e pela Universidade College of London, analisaram os processos clínicos de mais de 55.000 homens do Reino Unido, aos quais tinham sido prescritos inibidores da enzima 5-alfarredutase durante um período de 11 anos.
 
A equipa descobriu que os fármacos estavam associados a um aumento de cerca de um terço no risco de desenvolvimento de diabetes de tipo 2. Por outras palavras, em 500 homens a tomarem inibidores da enzima 5-alfarredutase, possivelmente surgiriam 16 casos adicionais de diabetes.
 
Foi observado um efeito semelhante após a análise de processos clínicos de homens em Taiwan.
 
Os achados sugerem que os homens que tomam aquele tipo de medicação poderão necessitar de acompanhamento médico adicional, de forma a monitorizar sinais de alarme de diabetes e terem as suas prescrições alteradas, se necessário.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “BMJ”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados