Falta de vitamina B1 em bebés e crianças pode provocar problemas gravesNotícias de Saúde

Terça, 04 de Abril de 2017 | 390 Visualizações

Fonte de imagem: Mundial Exames

Um novo estudo indicou que a falta de vitamina B1, ou tiamina, em bebés e crianças pequenas pode ter consequências negativas de longo prazo sobre a saúde.
 
O estudo liderado por Aviva Fattal-Valevski, da Escola de Medicina da Universidade de Tel Aviv, Israel, foi baseado noutro estudo retrospetivo de crianças que tinham sido alimentadas com um leite de fórmula sem vitamina B1, em 2004. 
 
O presente estudo apurou que a falta daquela vitamina afetou gravemente a função motora de bebés e crianças em idade pré-escolar que tinham sido alimentadas com o leite de uma marca israelita denominada Remedia durante o primeiro ano de vida.
 
Para o estudo, Aviva Fattal-Valevski seguiu o desenvolvimento de 39 crianças de cinco e seis anos que tinham sido expostas a leite de fórmula sem vitamina B1 em bebés. As crianças foram comparadas com outras 30 crianças saudáveis com as mesmas idades com um histórico nutricional que não incluía a falta de vitamina B1.
 
A avaliação da função motora em ambos os grupos revelou diferenças estatísticas significativas entre ambos os grupos, relativamente ao desenvolvimento motor fino e grosso. As diferenças foram mais notórias em relação ao controlo do equilíbrio e às competências motoras finas. Foi verificado que o grupo exposto à falta de vitamina B1 apresentava um índice maior de crianças com dificuldades na função motora em comparação com o grupo que não tinha sido exposto. 
 
Em 2004, tinham ocorrido mortes em bebés causadas pelo leite de fórmula, Remedia, o que chamou a atenção para os impactos potencialmente devastadores provocados pela falta de vitamina B1. Os bebés foram hospitalizados com sintomas cardíacos e neurológicos.  
 
Quando se percebeu que os sintomas tinham sido causados pela falta da vitamina, os médicos deram suplementos da mesma aos bebés. Alguns recuperaram rapidamente, mas, no entanto, três morreram e 20 ficaram com incapacidades graves e epilepsia. 
 
Segundo a autora principal do estudo, “a capacidade de o organismo armazenar a vitamina B1 é limitada”, por três semanas apenas. Sendo assim “necessita de ser frequentemente renovada. É essencial que se tenha consciência do quão importante esta vitamina é para o desenvolvimento das crianças. Mesmo os bebés saudáveis podem correr o risco de terem falta de vitamina B1. Se o seu bebé estiver a apanhar vírus atrás de vírus, devem intervir com vitaminas extra. Mas é um ciclo vicioso porque um dos primeiros sintomas da falta da (vitamina) B1 no sistema é a falta de apetite”, conclui. 
 
Os investigadores estão agora a estudar a associação entre a falta de vitamina B1 em bebés e problemas de aprendizagem mais tarde. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Maternal and Child Nutrition”

Notícias Relacionadas