Exposição a fenóis na gravidez afeta crescimento dos rapazesNotícias de Saúde

Segunda, 08 de Setembro de 2014 | 28 Visualizações

A exposição a determinados fenóis durante a gravidez pode afetar o crescimento dos rapazes durante o crescimento fetal e nos primeiros anos de vida, defende um estudo publicado na revista “Epidemiology”.

As mulheres grávidas são expostas a vários compostos que são amplamente produzidos e abundantes no nosso meio ambiente. Estes incluem os parabenos, utilizados nos cosméticos e produtos de saúde; o triclosan, um agente antibacteriano e pesticida encontrado em algumas pastas dentífricas e sabonetes; benzofenona-3, utilizado nos protetores solares como filtros de raios UV; os diclorofenóis, utilizado na composição dos desodorizantes interiores, o bisfenol A, utilizado na composição de garrafas de plástico, etc; e as resinas epóxi que estão presentes no revestimento de latas de alimentos e amálgamas dentárias

Estudos anteriores realizados in vitro e in vivo já tinha constatado que estes compostos interagiam com o sistema hormonal envolvido no crescimento e aumento de peso.

Neste estudo, coordenado pelo Inserm e pela Universidade de Grenoble, em França, os investigadores contaram com a participação de 520 pares de mães e filhos. As mulheres grávidas incluídas no estudo foram recrutadas entre 2003 e 2006, antes da legislação atual ter entrado em vigor.

O crescimento de cada criança foi monitorizado através de ecografias durante a gravidez, tendo também sido avaliado o seu peso e altura desde o nascimento até aos três anos de idade. As amostras à urina colhidas durante a gravidez também permitiram a mediação de biomarcadores de exposição a fenóis.   

O estudo apurou que 95% das mulheres grávidas foram expostas a este tipo de substâncias e que a exposição materna a alguns fenóis alterou o crescimento dos rapazes. Os investigadores demonstraram especificamente que havia uma associação negativa entre os níveis de triclosan e os parâmetros de crescimentos medidos no terceiro trimestre de gravidez. Verificou-se também que os parabenos foram associados a um aumento do peso à nascença e aos três anos de idade.

Sabe-se que o crescimento acelerado nos primeiros anos de vida pode aumentar o risco de obesidade na infância tardia. Neste estudo não foi identificada nenhuma associação entre as concentrações urinárias de outros fenóis e o crescimento pré e pós natal dos rapazes.

De acordo com os investigadores, este foi o primeiro estudo que avaliou os efeitos destes contaminantes, tendo por base dados recolhidos ao longo da gravidez, nascimento e até aos três anos de idade da criança. Estudos anteriores apenas se tinham focado num deste períodos e restringido ao estudo de bisfenol A.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Epidemiology”

Notícias Relacionadas