Exercício físico tem ação anti-inflamatóriaNotícias de Saúde

Terça, 17 de Janeiro de 2017 | 903 Visualizações

Fonte de imagem: Huffingtonpost

Investigadores americanos descobriram que a prática de exercício para além de ajudar a controlar o peso, a fortalecer o coração, ossos e músculos também atua como um anti-inflamatório, sugere um estudo publicado na revista “Brain, Behavior and Immunity”.
 
O estudo conduzido pelos investigadores da Universidade da Califórnia, nos EUA, pode ter implicações importantes para doenças crónicas como a artrite, fibromialgia, bem como para a obesidade. Verificou-se que a prática de uma sessão de 20 minutos de exercício moderado pode estimular o sistema imunitário, produzindo uma resposta celular anti-inflamatória.
 
Suzi Hong, uma das autoras do estudo, referiu que cada vez que praticamos exercício, estamos de facto a fazer algo de bom para o nosso organismo a vários níveis, incluindo ao nível do sistema imunitário.
 
O cérebro e o sistema nervoso simpático, uma via que serve para acelerar nomeadamente o ritmo cardíaco e aumenta a pressão arterial, são ativados durante o exercício. As hormonas, como a epinefrina e norepinefrina, são libertadas para a corrente sanguínea e ativam recetores adrenérgicos, que células do sistema imunológico possuem.
 
Este processo de ativação produz respostas imunológicas durante o exercício, que incluem a produção de muitas citoquinas ou proteínas, incluindo o TNF que desempenha um papel importante na regulação da inflamação local e sistémica, que também ajuda a impulsionar as respostas imunes.
 
Para o estudo os investigadores convidaram 47 indivíduos a caminhar numa passadeira com um nível de intensidade ajustado ao seu desempenho físico. Foram retiradas amostras de sangue antes e após 20 minutos da prática de exercício físico.
 
O estudo apurou que uma sessão de 20 minutos de exercício moderado numa passadeira conduzia a uma diminuição de cinco por cento no número de células imunitárias produtoras de TNF. De acordo com a investigadora, este estudo demonstrou que a sessão não necessita de ser intensa para produzir efeitos anti-inflamatórios. Vinte a trinta minutos de exercício moderado parece ser suficiente.
 
A inflamação é uma parte vital da resposta imune do corpo. Este processo é uma tentativa do organismo curar-se após uma lesão; defender-se contra organismos invasores, como vírus e bactérias, e de reparar os tecidos danificados. No entanto, a inflamação crónica pode conduzir a problemas graves de saúde associados à diabetes, doença celíaca, obesidade e outras condições.
 
Suzi Hong conclui que os pacientes com doenças inflamatórias crónicas devem sempre consultar o seu médico sobre o plano de tratamento adequado, mas saber que o exercício tem uma ação anti-inflamatória pode ser uma ajuda importante.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Brain, Behavior and Immunity”

Notícias Relacionadas