Exercício físico pode beneficiar o sono nos adolescentesNotícias de Saúde

Domingo, 26 de Maio de 2019 | 10 Visualizações

Fonte de imagem: Pinterest

A prática de mais exercício físico do que o normal ou de mais sedentarismo do que o habitual durante o dia poderá ser o suficiente para afetar o sono nessa noite, indicou um estudo.
 
O estudo, que foi conduzido por Lindsay Master e colegas da Universidade de Penn State, nos EUA, apurou que por cada hora adicional de atividade física moderada a vigorosa, os adolescentes adormeciam 18 minutos mais cedo, dormiam 10 minutos adicionais e mantinham uma eficácia 1% melhor na manutenção do sono naquela noite.
 
Por outro lado, um dia com maior sedentarismo do que o normal tinha sido associado a uma pior saúde do sono, com os adolescentes a adormecerem e a despertarem mais tarde, mas com um sono mais curto em geral.
 
Para a sua investigação, a equipa contou com dados de 417 participantes de outro estudo norte-americano. Quando os participantes tinham 15 anos, usaram acelerómetros no pulso e ancas, durante uma semana, para medir o sono e a atividade física.
 
Além de terem descoberto uma associação entre a atividade física durante o dia e o sono na mesma noite, os investigadores descobriram também ligações entre o sono e a atividade física no dia seguinte.
 
Com efeito, foi observado que quando os jovens dormiam durante um período mais prolongado e acordavam mais tarde dedicavam-se a menos atividade física moderada a vigorosa e a comportamentos sedentários no dia seguinte.
 
“Este achado pode estar relacionado com uma falta de tempo e oportunidade no dia seguinte”, comentou Lindsay Master. “Não sabemos ao certo, mas é possível que ao dormir até mais tarde, não se tenha tanto tempo para praticar exercício ou mesmo ser-se sedentário”, observou a investigadora. 
 
Lindsay Master recordou ainda que “a adolescência é um período essencial para obter um sono adequado, pois o sono pode afetar o desempenho cognitivo e em sala de aula, o stress e comportamentos alimentares”, pelo que será benéfico motivar os adolescentes para praticarem exercício físico.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Scientific Reports”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados