Estudo: Ingestão de glúten pode estar ligada a menor risco de diabetesNotícias de Saúde

Sexta, 10 de Março de 2017 | 24 Visualizações

Fonte de imagem: glutenfreebrasil

A ingestão de alimentos com glúten pode estar associada a um menor risco de desenvolvimento de diabetes do tipo 2, a mais comum, indica um estudo da universidade norte-americana de Harvard divulgado ontem.

O glúten, uma proteína que se encontra em cereais como o trigo, o centeio e a cevada, dá ao pão e a outros alimentos elasticidade durante o processo de cozedura e uma textura mastigável.

Uma pequena percentagem da população é intolerante ao glúten devido, nomeadamente, à doença celíaca. Contudo, as dietas sem glúten tornaram-se populares para pessoas sem qualquer intolerância, apesar da falta de evidências científicas de que a redução do seu consumo é benéfica para a saúde.

No estudo, divulgado pela American Heart Association, uma associação para o estudo e prevenção de doenças do coração, uma equipa de investigadores da Universidade de Harvard observou que a maioria dos voluntários que nele participaram consumia menos de 12 gramas por dia de glúten e os que ingeriram mais quantidades da proteína apresentavam menor risco de ter diabetes do tipo 2.

Em contrapartida, os participantes que consumiam menos glúten (menos de quatro gramas por dia) tendiam a ingerir menos fibra de cereais, um protetor natural do organismo contra o desenvolvimento da diabetes do tipo 2.

Segundo a “Lusa”, os investigadores avaliaram o consumo diário de glúten de 199.794 participantes de três estudos, através de questionários sobre hábitos alimentares feitos num período de dois a quatro anos.

A média diária de ingestão de glúten variava entre 5,8 e 7,1 gramas e a principal fonte da proteína estava em massas, cereais, pizza, bolos e pão.

Partilhar esta notícia
Autor
Lusa
Referência

Notícias Relacionadas