Estas são as hormonas que interferem com a qualidade de vidaNotícias de Saúde

Quinta, 09 de Fevereiro de 2017 | 38 Visualizações

Fonte de imagem: Net Health

Do peso à qualidade do sono, passando pelos níveis de ansiedade e pela capacidade de manter um humor equilibrado. Conheça as hormonas que mais interferem com a qualidade de vida.

O bom funcionamento hormonal é meio caminho andado para uma vida de qualidade e com saúde. As hormonas têm um papel determinante no funcionamento do organismo e na capacidade do mesmo agir contra agentes terceiros, mas podem ter também algo a dizer sobre o feito de cada um.

Na prática, existe hormonas que controlam o peso, o sono, a ansiedade e até o humor das pessoas, podendo afetar a qualidade de vida de qualquer pessoa. E há cinco que deve conhecer.

Tal como explica o site Mind Body Green, a insulina é uma das hormonas com mais ‘poder’ no organismo, uma vez que está diretamente associada à Diabetes. Contudo, com ou sem a presença desta doença, a insulina pode ainda ser a causa do ganho de peso, da insónia, da irritabilidade e da confusão mental, estando ainda associada a picos de gula e ao cansaço.

Mas falar de hormonas que afetam a qualidade de vida sem falar do cortisol é quase impossível. Esta é a hormona do stress e tende a ser mais intensa durante o dia, podendo, porém, afetar e muito a qualidade de sono. Quando está em níveis mais elevados do que o desejado, esta hormona causa ansiedade e nervosismo, podendo ainda levar a problemas alimentares (por excesso ou defeito de consumo). E por falar em problemas alimentares, não há como escapar à hormona da fome, a grelina, que é produzida tanto no estômago, como no pâncreas, nos intestinos e no cérebro. Esta hormona é produzida e libertada em maiores quantidades quando o estômago está vazio, por exemplo. No caso das pessoas obesas, a libertação da hormona é mais comum ao longo do dia, o que faz com que comam mais e mais vezes.

E quando se fala em grelina deve-se falar também em leptina, a hormona com efeito oposto. Trata-se da hormona da saciedade e que atua como contrapeso da grelina, verificando-se uma menor produção desta hormona da saciedade nas pessoas obesas.

Segundo a publicação, existe uma maior secreção de leptina durante o sono e é por isso que as pessoas que dormem pouco ou mal tendem a comer mais ao longo do dia e a apresentar maiores níveis de excesso de peso.

Ainda no que diz respeito ao excesso de peso – uma das condições que mais afeta a qualidade de vida e a saúde -, é importante referir também a adiponectina. Esta hormona tem como função queimar a gordura acumulada e quanta maior for a sua produção, maior é o sucesso contra os quilos extra. Esta hormona é facilmente estimulada por vegetais de folha verde escura, pelo abacate, frutos secos e sementes (ou seja, alimentos ricos em magnésio).

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados