Escove os dentes… para atrasar a doença de AlzheimerNotícias de Saúde

Segunda, 10 de Junho de 2019 | 4 Visualizações

Fonte de imagem: Newsweek

Uma equipa de cientistas identificou uma relação clara entre a gengivite e a doença de Alzheimer.  
 
Efetivamente, a equipa do Departamento de Ciências Clínicas da Universidade de Bergen, na Noruega, descobriu que a doença que afeta as gengivas exerce um papel decisivo sobre o desenvolvimento ou não da doença de Alzheimer.
 
Tinha já sido descoberto que as bactérias que causam a gengivite se podem deslocar da boca para o cérebro.
 
Segundo Piotr Mydel, investigador envolvido no achado, “descobrimos provas baseadas em ADN em como as bactérias que causam a gengivite conseguem deslocar-se da boca para o cérebro”.
 
As bactérias produzem uma enzima que destrói as células nervosas no cérebro, o que por sua vez conduz à perda de memória e, por fim, ao desenvolvimento de Alzheimer.
 
Os investigadores analisaram os cérebros de 53 pacientes com Alzheimer e descobriram a enzima em 96% dos casos. 
 
Segundo o mesmo investigador, as bactérias só por si não causarão aquela doença neurodegenerativa, mas a sua presença  já faz aumentar o risco de forma substancial, estando ainda envolvidas numa progressão mais rápida da doença. 
 
Não obstante, a equipa indicou que os resultados do estudo demonstram formas de desacelerar a doença de Alzheimer.
 
Piotr Mydel explicou que se o paciente já tem gengivite e Alzheimer na família, deverá ir ao dentista regularmente e escovar corretamente os dentes. “Escove os seus dentes e use fio dentário”, recomendou.
 
Adicionalmente, explicou, “conseguimos desenvolver um fármaco que bloqueia as enzimas prejudiciais das bactérias, atrasando o desenvolvimento da Alzheimer. Estamos a planear testar este fármaco mais tarde este ano”. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Science Advances”

Notícias Relacionadas