Envolvimento cívico na adolescência fomenta maior sucesso na idade adultaNotícias de Saúde

Quinta, 25 de Janeiro de 2018 | 42 Visualizações

Fonte de imagem: Wikipedia

Os adolescentes que se envolvem em atividades como fazer trabalho de voluntariado, ativismo e votar apresentam maiores possibilidades de se tornarem adultos bem-sucedidos, indicou um estudo.
 
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores do Centro Clínico Batista Wake Forest, EUA, apurou que estes adolescentes poderão conseguir melhores resultados académicos e maiores rendimentos do que os adolescentes que não se dedicam a essas atividades.
 
Parissa Ballard, investigadora principal deste estudo, explicou que “sabemos por investigações anteriores que participar em atividades cívicas pode ajudar as pessoas a sentirem-se mais ligadas aos outros e ajuda a estabelecer comunidades mais fortes, mas queríamos saber se o envolvimento cívico na adolescência podia melhorar a saúde, nível académico e rendimentos das pessoas quando se tornam adultas”.
 
Para o estudo, a investigadora e equipa analisaram 9.471 adolescentes e jovens adultos, de 18 a 27 anos, de outro estudo norte-americano sobre a saúde de adolescentes e adultos. O envolvimento cívico foi medido na altura, e seis anos depois os resultados em termos de saúde, habilitações académicas e rendimento foram avaliados.
 
Os investigadores mediram o envolvimento cívico relativamente a resultados posteriores, independentemente das características dos antecedentes dos participantes, incluindo a saúde e as habilitações académicas dos pais. 
 
Os adolescentes que faziam trabalho de voluntariado, por exemplo, foram postos em paralelo com os que não faziam voluntariado para comparar o estado de saúde, habilitações académicas e rendimentos na idade adulta.
 
A equipa descobriu que o voluntariado e votar estavam favoravelmente associados a uma melhor saúde mental e a comportamentos saudáveis, tal como menos sintomas de depressão e um menor risco de comportamentos de risco na saúde, incluindo o consumo de substâncias ilícitas.
 
Relativamente aos adolescentes envolvidos no ativismo, os resultados foram mais complexos. Embora revelassem uma oportunidade melhor de obterem um nível melhores habilitações académicas, envolviam-se mais em comportamentos de risco seis anos mais tarde.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Child Development”