E se a televisão lhe perguntasse se já tomou os medicamentos?Notícias de Saúde

Sexta, 07 de Abril de 2017 | 14 Visualizações

Fonte de imagem: pixabay

A aposta na telemedicina está a crescer e agora a televisão pode perguntar-lhe se já tomou os medicamentos. Uma inovação que pode vir a ajudar as pessoas que vivem sós e que é uma das novidades da eHealth Summit.

A decorrer no Parque das Nações, o eHealth Summit, que termina amanhã, espera mais de oito mil pessoas e está a debater vários temas relacionados as inovações tecnológicas na saúde, entre eles o controlo da medicação através da televisão.

Cada vez mais, existem pessoas sozinhas e a televisão é uma das principais companhias. Aproveitando esta evidência, os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde querem avançar com as primeiras experiências no próximo ano e acompanhar com proximidade estes utentes.

E se a sua televisão lhe perguntasse se já tomou os medicamentos?
“A televisão é muito abrangente e mais indutora de comportamentos. E sabe quando as pessoas estão a olhar para ela, porque ou mudam o canal ou sobem o som. Nós temos muitas pessoas sozinhas em casa e o nosso objetivo é levar a rede de saúde a casa das pessoas e potenciar soluções digitais para que possam estar mais acompanhadas. O concurso é complexo, demorará seis a nove meses, porque são empresas de grande volume. O queremos é que as três operadoras de televisão concorram todas para terem este serviço: ligar a box da TV aos serviços de saúde e mais tarde ter um canal do Serviço Nacional de Saúde [SNS]”, explicou ao Diário de Notícias Henrique Martins, presidente da Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

A aposta na telemedicina tem vindo a aumentar e com esta inovação, o foco são as pessoas de mais idade, que não usam telemóvel, nem têm acesso à Internet, mas usam a televisão e com alguma capacidade.
“Temos dois a três milhões de pessoas de maior idade que não usam internet e têm telefones antigos.

Mas usam a televisão e com alguma capacidade. A nossa ideia é ter transações simples, como marcar consultas fazendo uma ligação com o Portal da Saúde, e depois evoluir para soluções mais interessantes, em que a TV está linkada ao número de utentes. Aí podemos enviar mensagens a perguntar se tomaram ou não os medicamentos, se mediram a tensão, registar sinais vitais em que as pessoas podem responder com o comando. Pequenas perguntas com grande valor clínico”, esclareceu o responsável à mesmo jornal.

O eHealth Summit centra-se no processo de transformação digital da Saúde, sendo um evento de dimensão internacional, apostando num num modelo dinâmico e abrangente, com sessões contínuas e paralelas, de debates, conferências e uma oportunidade única e diferenciadora onde as startups nacionais irão apresentar, durante três dias, os seus projetos e produtos inovadores.
Pode assistir aqui em direto o evento a decorrer na Sala Tejo do Meo Arena até amanhã.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas