É assim que se educam crianças felizes, segundo a ciênciaNotícias de Saúde

Terça, 11 de Outubro de 2016 | 119 Visualizações

Fonte de imagem: Huffingtonpost

Há muito a fazer pela felicidade das crianças. Veja as melhores dicas cientificamente provadas.

A felicidade das crianças é contagiante e não há nada como o sorriso genuíno e espontâneo de um bebé ou a gargalhada sentida de um miúdo. A felicidade das crianças depende dos adultos, em particular dos pais, e há muito para fazer.

Este é um temas que mais interessa a ciência e a psicologia, que andam constantemente de mãos dadas pelo bem-estar dos mais novos e que não hesitam em procurar mais e melhores formas de deixar os mais novos felizes.

Segundo o site LiveScience uma das dicas cientificamente provadas para se educarem crianças felizes é olhar para elas tal como são, ou seja, como crianças, pequenos seres que fazem asneiras, que dizem barbaridades e que colocam mil e uma perguntas nas mais variadas situações do dia-a-dia. Deixá-las viver o momento sem as stressar com o futuro é um outro aspeto a ter em conta e que tem vindo a ser defendido pela ciência.

Como mostra um estudo a Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, para se conseguir educar uma criança feliz e saudável é ainda preciso deixá-la ser como é, estando esta dica mais voltada para os pais de crianças tímidas, que jamais devem ser forçadas a perder a timidez e/ou a sair da zona de conforto.

Ajudar as crianças a expressarem e a compreenderem os próprios sentimentos é também importante, assim como dar-lhes espaço e tempo, afinal, sobrecarregá-las apenas vai fazer aumentar o stress, como lhe contamos aqui com a entrevista do especialista espanhol Álvaro Bilbao.

rigor deve estar presente q.b. na educação das crianças, uma vez que existe uma forte relação entre a imposição severa de regras e a obesidade, como concluiu um estudo da Universidade do Colorado. Contudo, os pais devem adotar uma postura autoritária, uma vez que só assim as crianças são menos propensas a querer experimentar drogas e tabaco, segundo um estudo de 2012 publicado na revista Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine.

Limitar as distrações estimular o vocabulário ‘politicamente correto’ (como obrigada, se faz favor, etc.) ajuda a que a criança seja mais focada e atenta aquilo que realmente importa, dando mais valor ao que tem e às pessoas que a rodeiam. E por falar em pessoas que rodeiam, entre as 25 opções dadas, o site diz ainda que os pais devem tentar estar o mais presentes possível na vida dos filhos, partilhando os momentos de lazer e diversão, assim como os momentos que podem ditar comportamentos futuros, como as refeições.

Estar atento aos sinais comuns da adolescência, aceitando-os e mudando-os quando necessário, é igualmente fundamental. Como diz o site, é durante esta fase de crescimento que as pessoas ficam mais suscetíveis ao stress mental e emocional, sendo, por isso, fundamental escutar e aconselhar.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira

Notícias Relacionadas