Duração do choro dos bebés varia de acordo com os paísesNotícias de Saúde

Quarta, 05 de Abril de 2017 | 30 Visualizações

Fonte de imagem: amarinbabyandkids

Um novo estudo apurou que os bebés choram mais no Reino Unido, Canadá e em Itália em relação ao resto do mundo.
 
O estudo desenvolvido por uma equipa de investigadores da Universidade de Warwick, Inglaterra, determinou a quantidade de choro dos bebés nos seus primeiros três meses de vida.
 
Este estudo permitiu ainda a criação dos primeiros gráficos universais para a quantidade de choro normal nos bebés nessa fase da vida por Dieter Wolke, do Departamento de Psicologia daquela universidade. 
 
Para o estudo, Dieter Wolke efetuou uma meta-análise de estudos de vários países que incluíam a Alemanha, Dinamarca, Itália, Holanda, Reino Unido e Canadá. 
 
Foi determinado que em geral os bebés no mundo inteiro choram cerca de duas horas por dia nas duas primeiras semanas de vida, o que aumenta para o máximo que de duas horas e quinze minutos com seis semanas e depois decresce até uma hora e 10 minutos às 12 semanas de vida.
 
Foi também descoberto que alguns bebés choram apenas 30 minutos por dia e que outros chegam a chorar mais de cinco horas no mesmo espaço de tempo.
 
Os níveis mais elevados de cólicas em bebés foram encontrados no Reino Unido (28% em bebés de uma a duas semanas de vida), Itália (20,9% às oito e nove semanas) e Canadá (34,1% às três e quatro semanas de vida). Os níveis mais elevados de cólicas foram definidos como choro superior a três horas por dia e pelo menos três vezes por semana. 
 
Foi na Dinamarca, Alemanha e Japão que se detetaram os níveis mais baixos de cólicas nos bebés, com 5,5% às três e quatro semanas de vida e 6,7% também na mesma faixa etária, respetivamente. 
 
Como a família e os cuidados infantis sofreram enormes mudanças no último meio século, em várias culturas, eram necessárias outras linhas orientadoras universais para os pais e profissionais de saúde modernos para avaliar os níveis de choro normal e excessivos nos bebés. Os parâmetros usados atualmente (os critérios de Wessel) datam dos anos 50. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “The Journal of Pediatrics”

Notícias Relacionadas