Doentes reumatológicos encaminhados para consultas de autoimunesNotícias de Saúde

Terça, 24 de Abril de 2018 | 37 Visualizações

Fonte de imagem: Healthline

A Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR) denunciou que as doenças do foro reumatológico estão a ser encaminhadas para as consultas de doenças autoimunes.
 
Em comunicado ao qual a agência Lusa teve acesso, a SPR afirma que já alertou para esta situação, denunciando um problema que considera grave, “não só do ponto de vista ético, mas também jurídico, no que respeita aos cuidados de saúde prestados nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.
 
As doenças do foro reumatológico, por exemplo, estarão a ser encaminhadas para as chamadas “consultas de doenças autoimunes”.
 
“No contexto dessas consultas de doenças autoimunes são tratadas essencialmente patologias cujo acompanhamento deveria ser assegurado por médicos de outras especialidades”, prossegue o comunicado.
 
A SPR requer “uma atuação célere e eficaz para resolver um grave problema que assola o SNS e que prejudica, não apenas os médicos especialistas que veem as suas funções usurpadas por médicos de Medicina Interna, mas também, e principalmente, quem sofre de patologias autoimunes”.
 
“Várias dessas patologias são do foro reumático, ainda que de etiologia autoimune, designadamente: artrite reumatoide, artrite idiopática juvenil, diversas espondilartropatias – como a espondilite anquilosante, a artrite psoriática e a artrite enteropática –, lúpus eritematoso sistémico, esclerose sistémica progressiva (esclerodermia), síndrome de Sjögren e doença de Behçet”, lê-se numa carta enviada a Adalberto Campos Fernandes.
 
A SPR classifica de “imperativo” o fim das consultas de doenças autoimunes, “pelo menos tal como as mesmas são hoje configuradas em vários hospitais do Serviço Nacional de Saúde”.
 
“Tais consultas, sendo asseguradas exclusivamente por médicos especialistas em Medicina Interna, colocam em causa a lógica de diferenciação de saberes que subjaz à medicina contemporânea, comprometendo a saúde dos doentes e os seus direitos mais elementares”, prossegue a SPR.

Partilhar esta notícia
Referência
Alerta da Sociedade Portuguesa de Reumatologia

Info-Saúde Relacionados