Doença hepática avançada: profilaxia com antibiótico reduz mortalidadeNotícias de Saúde

Segunda, 24 de Abril de 2017 | 220 Visualizações

Fonte de imagem: Medical Xpress

Um estudo demonstrou que o tratamento de longo termo com norfloxacina fez aumentar o prognóstico de pacientes como doença hepática avançada e potencialmente fatal.
 
O estudo aleatório, conduzido por vários centros de investigação, foi apresentado no Congresso Internacional do Fígado 2017, em Amesterdão, Holanda, e demonstrou que a administração por 6 meses do antibiótico norfloxacina reduzia o risco de morte e infeção aos 6 meses em pacientes com cirrose classe C de Child-Pugh, que consiste num estado muito avançado da doença.
 
Para o estudo, na sua fase 3, os investigadores contaram com 291 pacientes com cirrose classe C para receberem diariamente 400mg de norfloxacina ou um placebo durante 6 meses. Os pacientes foram acompanhados por um período adicional de 6 meses para identificar infeções, morte ou outras complicações do fígado.
 
O Sistema de classificação Child-Pugh é empregue para calcular os prognósticos na cirrose e classifica a doença de A a C, sendo C relativo aos casos mais avançados. A classe C significa que o paciente apresenta descompensação no fígado, correndo perigo de morte e a extensão da fibrose faz com que o órgão não funcione adequadamente. 
 
Após 6 meses de tratamento, tinham morrido menos pacientes no grupo da norfloxacina (22 [15,3%]) do que no do placebo (36 [24, 5%]). Após 6 meses de acompanhamento, a incidência cumulativa de mortes era mais baixa no grupo do antibiótico (15,5%) do que no do placebo (24,8%). No entanto, aos12 meses a incidência de mortes era semelhante em ambos os grupos. 
 
A incidência de outras complicações relacionadas com o fígado era semelhante em ambos os grupos, 6 e 12 meses após o fim do tratamento. Foi também observado que a taxa de infeções era mais reduzida no grupo do antibiótico aos 6 e 12 meses. 
 
“Este estudo demonstra que o tratamento de longa-duração com antibióticos orais pode melhorar o prognóstico de pacientes com doença hepática que pode ser fatal. No entanto o uso exagerado de antibióticos de largo espetro é um assunto que tem vindo a ser debatido nos últimos anos”, comentou Richard Moreau, autor principal do estudo, do Hospital Beaujon, Clichy, França.
 
“Os resultados deste estudo demonstram que o tratamento com norfloxacina reduz o risco de infeções e morte a curto-termo, mas não a longo termo”, conclui. 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “Journal of Hepatology”