Doença bipolar: mais perto da sua base genéticaNotícias de Saúde

Terça, 18 de Fevereiro de 2014 | 65 Visualizações

Numa tentativa de identificarem as causas genéticas da doença bipolar, investigadores americanos utilizaram uma nova abordagem que combinou resultados de técnicas imagiológicas, de testes cognitivos, de temperamento e de comportamento, dá conta um estudo publicado no “JAMA Psychiatry”.

A doença bipolar, que afeta um a dois por cento da população, causa alterações de humor e energia que interferem com a capacidade dos pacientes levarem a cabo as tarefas diárias. As causas genéticas da doença bipolar são extremamente complexas e é provável que envolvam vários genes.

“A genética psiquiátrica há muito que tem lutado para encontrar uma abordagem eficaz para dissecar a base genética da doença bipolar”, referiu em comunicado de imprensa a líder do estudo, Carrie Bearden.

Assim, de forma a tentarem entender melhor a base genética desta doença, os investigadores da Universidade da Califórnia, nos EUA, contaram com a participação de 738 adultos, 181 dos quais tinham doença bipolar severa. Foram utilizadas imagens cerebrais 3D de elevada resolução, questionários para avaliação do temperamento e traços de personalidade dos pacientes e familiares, bem como uma bateria de testes cognitivos para avaliação da memória de longo prazo, atenção, controlo inibitório e outras capacidades cognitivas.

O estudo apurou que 50 destas medidas são influenciadas pela genética. Foi descoberto que a espessura da massa cinzenta nas regiões temporal e pré-frontal do cérebro, que estão envolvidas na linguagem, no autocontrolo e resolução de problemas, era a candidata mais promissora para mapear os traços genéticos da doença, com base na sua forte base genética e associação com a doença.

“Estes resultados são de facto o primeiro passo para conseguirmos chegar um pouco mais perto das raízes da doença bipolar. O que foi realmente interessante neste projeto foi o facto de termos conseguido recolher um grande conjunto de traços associados à doença bipolar. Estes dados são um recurso valioso para a investigação nesta área”, conclui a investigadora.

Os investigadores estão já a planear utilizar os dados genéticos recolhidos para identificar os genes que contribuem para o risco de doença bipolar.

Partilhar esta notícia
Autor
estudo publicado no “JAMA Psychiatry” / ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Referência
investigadores da Universidade da Califórnia, nos EUA

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados