Distúrbios mentais e criatividade. Há mesmo uma linha que os une?Notícias de Saúde

Sexta, 04 de Março de 2016 | 24 Visualizações

Fonte de imagem: escoladecriatividade

A ciência ainda não tem a certeza quanto à ligação direta entre os distúrbios mentais e a criatividade, mas a verdade é que são vários os nomes de personalidades com problemas mentais que mostraram a sua genialidade.   

Vicente Van Gogh e Robin Williams. Dois nomes separados por uma série de anos. Dois nomes ligados à arte, mas separados na especialidade. Dois nomes de génios com distúrbios mentais. Mas existem outros.

São muitos os nomes de personalidades com problemas mentais que ficaram na história pela sua genialidade, mas a verdade é que a ciência ainda não conseguiu traçar um linha direta entre os dois fatões.

Em 1998, das 29 investigações sobre os distúrbios mentais e a criatividade, 15 não tinham conseguiu provar qualquer ligação. Nove conseguiram mostrar que pode existir uma ponte comum… mas a conclusão foi demasiado ténue para ser ‘levada a sério’.

Conta a BBC que, em 2011, um estudo sueco conseguiu provar que as pessoas com transtorno bipolar têm 1,35 mais vezes possibilidades de trabalhar em áreas criativas, mas é a dificuldade em definir e estipular o que é ou não criativo que está a causar dores de cabeça à ciência.

Os casos de esquizofrenia, depressão e ansiedade não mostraram interferir com a criatividade.

Embora a ciência não consiga dar uma ‘ligação cientificamente provada’ de que os distúrbios mentais estimulam a criatividade, tem vindo nas últimas décadas a defender que a forma como as pessoas com transtornos mentais vêm o mundo é já um espelho da sua criatividade. Porém, os picos dos transtornos podem, porém, inibir a criatividade, diz a BBC.

Partilhar esta notícia
Referência