Distribuição da gordura pode prever risco de ataque do miocárdioNotícias de Saúde

Segunda, 04 de Dezembro de 2017 | 23 Visualizações

Fonte de imagem: Huffington

Um novo estudo indicou que o aumento do risco de ataque do miocárdio não é causado pela quantidade de tecido adiposo no organismo, mas sim a localização desse tecido adiposo.
 
Conduzido por uma equipa de investigadores liderados por Miriam A. Bredella, radiologista no Hospital Geral de Massachusetts e docente na Faculdade de Medicina de Harvard, EUA, o estudo teve como objetivo atestar as diferenças nos padrões de distribuição de tecido adiposo em homens e mulheres com excesso de peso e obesos e risco metabólico associado.
 
Para o estudo, os investigadores recrutaram 200 indivíduos com excesso de peso e obesos, 109 dos quais eram mulheres e 91 eram homens, e perfaziam uma média de idades de 37 anos. Tanto os homens como as mulheres apresentavam IMC e idades semelhantes.
 
Os participantes foram submetidos a vários exames para se determinar a composição do organismo de forma a terem o tecido adiposo quantificado e analisado.
 
Os resultados revelaram que as mulheres apresentavam uma percentagem superior de tecido adiposo, bem como de gordura subcutânea, mas uma massa magra inferior em relação aos homens.
 
Todavia, os homens apresentavam mais tecido adiposo visceral ou depósitos de gordura ectópica na região abdominal e órgãos internos, bem como mais gordura ectópica nos músculos e fígado. 
 
Miriam A. Bredella adiantou que “os homens obesos possuem gordura visceral relativamente elevada, gordura entre as células musculares e gordura no fígado, que são todos fatores de risco para as doenças cardiometabólicas, em comparação com mulheres com o mesmo IMC”.
 
“No entanto, os homens possuem mais músculo e massa magra, que são protetores da saúde cardiometabólica. As mulheres possuem uma quantidade de gordura corporal total relativamente mais elevada e gordura superficial nas coxas mais elevada, a qual é protetora da saúde cardiometabólica”, acrescentou.
 
Os homens apresentavam um risco cardiometabólico em geral mais elevado do que as mulheres. No entanto, o tecido adiposo ectópico não foi associado a um risco cardiometabólico significativo nos homens, e nas mulheres este risco foi bastante elevado.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo apresentado no Encontro Científico Anual da Sociedade de Radiologia da América do Norte, EUA

Notícias Relacionadas