Dispraxia. O que é e a que sinais deve prestar atençãoNotícias de Saúde

Segunda, 22 de Maio de 2017 | 761 Visualizações

Fonte de imagem: Dispraxia

Esta condição é maioritariamente diagnosticada em crianças, mas as suas consequências são eternas.

Conhecida como a síndrome do desastrado, a dispraxia é uma disfunção motora neurológica que condiciona a capacidade do cérebro comandar determinados movimentos.

Apesar de ser uma doença ainda pouco estudada e cujo diagnóstico ainda carece de certezas, a dispraxia carateriza-se pela incapacidade de coordenar a ação, isso é, uma pessoa com esta patologia não consegue planear e executar uma sequência de atos, sejam eles já rotineiros ou novos. Ações básicas do dia a dia podem também assumir-se como um verdadeiro desafio para quem sofre desta condição.

De acordo com o Instituto de Apoio e Desenvolvimento, existem quatro tipos de displaxia:

1. Motora- carateriza-se pelas dificuldades no esquema corporal e atraso na organização motora; poderá estar associada à lentidão, imprecisão e dificuldades do planeamento e execução dos movimentos;

2. Espacial- carateriza-se por uma desorganização do esquema corporal e da relação da criança com o espaço;

3. Postural- carateriza-se pelas dificuldades na postura, que se refletem em movimentos pouco ritmados e sem fluidez;

4. Verbal- carateriza-se por ser uma perturbação do desenvolvimento da linguagem.

Daniel Radcliffe, o ‘eterno’ Harry Potter, é uma das celebridades que dá cara por esta doença, tendo já revelado o quão difícil pode ser apertar os atacadores de uns sapatos ou dar um nó na gravata quando se tem dispraxia. Conta o site Bustle que também a modelo e atriz Cara Delevingene e a cantora Florence Welch sofrem desta condição, que consegue ser bastante incapacitante.

Uma vez que os primeiros sintomas desta doença surgem na infância e que o grau de incapacidade pode ir de quase nulo a tremendamente incapacitante, os pais devem prestar atenção a um conjunto de sinais, que podem também surgir ou agravar-se na idade adulta. De acordo com o site Bustle, estes são os indicadores mais claros da doença:

- Mau equilíbrio;

- Não conseguir fazer duas ou mais tarefas físicas ao mesmo tempo (ou ter muita dificuldade em consegui-lo);

- Má coordenação das mãos;

- Falar ou comer podem ser duas tarefas complexas;

- Dificuldade em diferenciar o lado esquerdo do lado direito;

- Incapacidade ou dificuldade em estar sentado da forma correta;

- Dificuldade em organizar ou planear tarefas (seja mentalmente ou numa agenda);

- Dificuldade em aprender uma sequência de movimentos (como uma dança);

- Dificuldade em manter-se concentrado;

- Dificuldade em escrever, desenhar, pintar, cortar com tesoura, etc.

Partilhar esta notícia
Referência
Daniela Costa Teixeira