Dieta saudável antes da gravidez reduz risco de cardiomiopatiasNotícias de Saúde

Quinta, 27 de Agosto de 2015 | 27 Visualizações

Fonte de imagem: finaforma

A adoção de uma dieta saudável antes da gravidez está associada a uma menor taxa de determinadas malformações cardíacas no bebé ao nascimento, sugere um estudo publicado nos “Archives of Disease in Childhood”.

As cardiopatias congénitas são comuns e dispendiosas. Cerca de uma em cada quatro crianças afetadas morre durante a infância devido a esta condição, tendo os médicos poucas opções preventivas.

Alguns estudos têm sugerido que os suplementos vitamínicos podem diminuir o risco, enquanto outros sugerem que uma melhor qualidade da dieta pode ter um impacto positivo na taxa de malformações cardíacas no nascimento.

De forma a tentar averiguar o papel da dieta no desenvolvimento desta condição, os investigadores questionaram cerca de 19 mil mulheres sobre a quantidade e qualidade da dieta adotada no ano anterior à gravidez. As participantes integraram o Estudo Nacional de Prevenção dos Defeitos ao Nascimento, tendo metade delas dado à luz bebés saudáveis e a outra metade bebés com malformações cardíacas.

A qualidade da dieta foi avaliada utilizando dois sistemas de pontuação validados: o Índice de Dieta Mediterrânica e o Índice de Qualidade da Dieta para a Gravidez (DQI-P, sigla em inglês).

O estudo apurou que as mães que se encontravam no quartil mais elevado relativamente à qualidade da dieta adotada, avaliadas pelo DQI-P, apresentavam um risco significativamente menor de dar à luz bebés com determinadas malformações cardíacas, comparativamente com aquelas no quartil inferior.

Os investigadores constataram que a adoção de uma dieta saudável estava associada a um risco 37% menor de tetralogia de Fallot e um risco 23% menor de defeitos do septo atrial. Os defeitos do septo atrial referem-se a orifícios na parede do septo, que divide as câmaras superiores (átrios) do coração. Tetralogia de Fallot é uma malformação complexa que pode conduzir a níveis perigosamente baixos de oxigénio no sangue.

Na opinião dos investigadores, uma vez que este é um estudo observacional não existem conclusões definitivas sobre a causa e o efeito. No entanto, foram encontradas associações similares para a dieta antes da gravidez e outras malformações congénitas, incluindo lábio leporino e defeitos do tubo neural.

Os autores do estudo concluem que o risco de algumas cardiopatias congénitas pode ser combatido com a adoção de uma dieta mais saudável antes da gravidez, o que reforça as recomendações dietéticas atuais para as mulheres que desejam engravidar.

Partilhar esta notícia
Referência
estudo publicado nos “Archives of Disease in Childhood”

Notícias Relacionadas