Dieta DASH pode reduzir risco de depressãoNotícias de Saúde

Quarta, 28 de Fevereiro de 2018 | 42 Visualizações

Fonte de imagem: Worldhealth

O consumo abundante de hortaliça, fruta e de cereais integrais poderá proporcionar uma taxa menor de depressão ao longo do tempo, indicou um estudo.
 
O estudo que vai ser apresentado no Congresso Anual da Academia Americana de Neurologia em abril deste ano, demonstrou que as pessoas que aderem de forma mais rigorosa à dieta DASH (sigla de “Dietary Approches to Stop Hypertension” ou abordagens dietéticas para travar a hipertensão), correm um menor risco de desenvolverem depressão do que as que não aderem àquela dieta.
 
A dieta DASH prevê o consumo de hortaliça, fruta, cereais integrais, produtos lácteos sem gordura ou com pouca gordura e o consumo mínimo de gordura saturada e açúcar. Esta dieta faz descer a hipertensão arterial, o colesterol LDL (o mau colesterol) e faz reduzir o peso.
 
Segundo Laurel Cherian, autora do estudo, do Centro Clínico da Universidade Rush, em Chicago, EUA, a depressão é comum nos idosos e mais frequente em quem tem problemas de memória, quem tenha tido um acidente vascular cerebral (AVC) ou em quem apresente fatores de riso vasculares, como hipertensão arterial. 
 
“Fazer uma alteração no estilo de vida como mudar a sua dieta é muitas vezes preferível a tomar medicação, sendo que queríamos verificar se a alimentação poderia ser uma forma eficaz de reduzir o risco da depressão”, explicou a investigadora.
 
A equipa contou com 964 participantes com uma média de idades de 81 anos e que foram monitorizados relativamente a sintomas depressivos durante cerca de seis anos e meio. Foi também verificada a alimentação dos participantes através de questionários e os investigadores avaliaram a aderência dos mesmos às dietas DASH, mediterrânica e tradicional ocidental. 
 
Os participantes foram divididos em três grupos, segundo o seu nível de aderência às dietas. Foi apurado que os dois grupos que seguiam mais rigorosamente a dieta DASH apresentavam uma propensão 11% menor de desenvolverem depressão do que o grupo que não seguia a dieta com rigor. 
 
Por outro lado, os participantes do grupo que mais seguiam a dieta ocidental (rica em gordura e em carne vermelha e pobre em vegetais), apresentavam uma maior propensão a desenvolverem depressão.
 
A autora do estudo indicou que este estudo apenas mostra uma associação e por isso são necessários estudos subsequentes sobre o tema.

 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo apresentado no Congresso Anual da Academia Americana de Neurologia

Notícias Relacionadas