Dieta com poucos hidratos de carbono associada a maior mortalidadeNotícias de Saúde

Segunda, 08 de Outubro de 2018 | 9 Visualizações

Fonte de imagem: Health Tips

Seguir tanto uma dieta que inclua poucos hidratos de carbono como uma alimentação com muitos hidratos de carbono faz aumentar o risco de mortalidade, indicou um estudo.
 
Ao que parece, o equilíbrio reside na moderação, quando se trata da quantidade de hidratos de carbono incluídos na alimentação, concluíram os investigadores neste estudo, do Hospital Brigham and Women’s, em Boston, EUA. 
 
Alternativamente, a substituição dos hidratos de carbono por proteínas e gorduras derivadas de plantas é uma boa solução para promover a longevidade, apontou ainda a investigação.
 
Para o estudo, Sara Seidelmann e colegas analisaram mais de 15.400 pessoas com idades compreendidas entre os 45 e os 64 anos que tinham integrado um estudo sobre a aterosclerose nos EUA. 
 
Os participantes do sexo masculino relataram consumir entre 600 e 4.200 quilocalorias (Kcal) por dia e as mulheres disseram consumir entre 500 e 3.600 Kcal diárias. Os hábitos alimentares foram relatados no início do estudo e seis anos mais tarde. 
 
Os investigadores analisaram depois a associação entre o consumo de hidratos de carbono em geral e a mortalidade por qualquer causa. 
 
Foi apurado que tanto um consumo reduzido de hidratos de carbono (menos de 40% do aporte total de energia derivada de hidratos) e um consumo elevado (mais de 70%) estavam correlacionados com um maior risco de mortalidade prematura.
 
Por outro lado, o consumo moderado de hidratos de carbono (50 a 55% da energia total) foi correlacionado com quatro anos adicionais de esperança de vida em comparação com o consumo insuficiente de hidratos.
 
Estes achados foram reforçados com uma segunda parte do estudo, que consistiu numa meta-análise de estudos que incluíam mais de 432.000 pessoas de mais de 20 países e que demonstrou que substituir os hidratos por proteínas animais numa dieta de poucos hidratos esta correlacionado com um maior risco de mortalidade em relação a consumir hidratos em moderação. 
 
Sara Seidelmann concluiu que uma dieta pobre em hidratos deverá contemplar a substituição dos mesmos por proteínas e gorduras vegetais, podendo mesmo promover um envelhecimento saudável.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na “The Lancet Public Health”