Diabetes tipo 2: nova combinação de fármacosNotícias de Saúde

Quarta, 25 de Maio de 2016 | 88 Visualizações

Fonte de imagem: Pixabay

Os indivíduos com diabetes tratados com insulina e metformina apresentam um risco mais reduzido de morte e eventos cardíacos comparativamente com aqueles que apenas são tratados com insulina, defende um estudo publicado na revista “PLOS ONE”.
 
Para o estudo, os investigadores da Universidade de Cardiff, no Reino Unido analisaram indivíduos com diabetes tipo 2 que tinham sido tratados apenas com insulina ou também com metformina a partir de 2000. Foram identificados 12.020 indivíduos que foram, em média, acompanhados ao longo de três anos e meio, desde a primeira prescrição de insulina.
 
O estudo, liderado por Craig Currie, apurou que quando utilizada conjuntamente com a insulina, a metformina tinha o potencial de reduzir a mortalidade e a ocorrência de enfartes agudos do miocárdio. Adicionalmente verificou-se que não existia diferença entre o risco de cancro entre os pacientes tratados apenas com insulina e aqueles tratados com insuluna e metformina.
 
O investigador referiu que, desde 1991, a taxa de utilização de insulina aumentou mais do que seis vezes no Reino Unido. No entanto, recentemente a metformina também tem sido utilizada conjuntamente com a insulina como forma de tratamento deste tipo de diabetes.
 
Estudos anteriores, realizados pela mesma equipa de investigação, demonstraram que o aumento da dose de insulina estava associado à mortalidade por cancro e enfarte agudo do miocárdio. Por outro lado, outros estudos demonstraram que a metformina era capaz de atenuar os riscos associados à insulina.
 
“No estudo, analisámos a dose de insulina conjuntamente com o impacto da combinação da insulina com a metformina. Descobrimos que havia uma redução considerável de mortes e problemas cardíacos, quando este fármaco comum era utilizado com a insulina”, referiu Craig Currie.
 
O investigador concluiu que apesar de o estudo indicar que a utilização dos dois tratamentos em simultâneo tem potencialidade, são necessários mais estudos para determinar os riscos e benefícios da insulina na diabetes tipo 2 e os possíveis benefícios associados a uma administração conjunta com a metformina.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “PLOS ONE”

Notícias Relacionadas