Dez situações normais que assustam os pais inexperientesNotícias de Saúde

Terça, 15 de Novembro de 2016 | 35 Visualizações

Fonte de imagem: Claudia - Abril

Logo que o bebé chega ao colo da mãe, começam a surgir diversas dúvidas.

Os pais 'de primeira viagem', ou seja os estreantes na matéria, morrem de medo até com um simples espirro da criança . É comum ligarem para o pediatra em situações absolutamente normais e que não inspiram nenhum cuidado especial.

Mas tudo isso é normal, incluindo as muitas dúvidas que começam a surgir assim que o bebé chega ao colo da mãe.

Por isso, as pediatras do portal Saúde4Kids apontaram dez questões que assustam muito os pais, mas que são absolutamente normais nos recém-nascidos. São elas:

1. Espirros constantes: o espirro é uma defesa do organismo para libertar as vias aéreas de partículas indesejadas. Nos primeiros dias de vida, o bebé precisa de se livrar de resíduos de líquido amniótico e secreções do parto, então pode espirrar com mais frequência. Passados esses dias, o bebé pode continuar a espirrar bastante, pois qualquer pó ou muco que penetra na sua via aérea pequenina desencadeia o espirro.

2. Cocó 'explosivo': está com a criança ao colo e de repente ouve um barulho e sente a fralda vibrar. Ou então na hora de mudar a fralda é surpreendida por um jato certeiro na sua roupa, na parede, na cadeira ou em qualquer coisa que estiver à frente. Será que isso é normal? Sim. As fezes de um recém-nascido são líquidas e podem sair em jato e fazer um 'barulhão' na fralda. E claro, podem sujar tudo na hora das mudas.

3. Maminhas inchadas: as hormonas da mãe podem passar para o bebé e levar ao crescimento do tecido mamário. Mas não se preocupe! Isso desaparece. O excesso de hormonas maternas pode também provocar um leve sangramento vaginal em bebés do sexo feminino (uma "mini menstruação").

4. Crosta láctea: Chega da maternidade e após alguns dias percebe que seu bebé está com caspa (?!). Não desespere! Não é falta de higiene! Trata-se da chamada crosta láctea ou dermatite seborreica infantil. Caracteriza-se por crostas amareladas no couro cabeludo e às vezes nas sobrancelhas. Ocorre em alguns bebés pelo excesso de oleosidade na pele e embora assuste é inofensiva. Não force a remoção das crostas, pois pode infetar. Se quiser, pode passar um óleo vegetal nas crostas antes do banho removendo o produto com a água delicadamente. E não agasalhe demais a criança, pois pode piorar o problema.

5. Sustos: Você vai perceber que o bebé parece apanhar 'sustos' a toda a hora, seja por barulho ou movimentos. Isso é o chamado reflexo de moro e é normal! Costuma diminuir no segundo mês de vida.

6. Genitais inchados: Os testículos dos meninos e os lábios vaginais das meninas apresentam inchaço ao nascimento, mas isso diminui com o passar dos dias. Sabe aquele peso que seu bebé perde na primeira semana de vida? É exatamente por causa desse inchaço que está a desaparecer.

7. Estrabismo: Acha que o seu bebé é vesgo? Calma! Os nossos olhos são controlados por músculos e nos primeiros seis meses de vida o bebé treina essa musculatura que ainda é imatura. Além disso, os bebés com a base do nariz mais larga ou pregas no canto dos olhos podem ter o chamado pseudo-estrabismo, que é uma falsa impressão de que a criança está vesga, mas na verdade não está!

8. Soluços: os soluços acontecem devido a contrações do diafragma, responsável por controlar a respiração. Mais uma vez, por imaturidade do controlo do músculo, é possível que ocorram contrações sem motivo algum e com alguma frequência. A posição errada durante a amamentação, com ingestão de ar ou frio também podem provocar soluços.

9. Respiração ofegante: controlar a respiração também é uma aprendizagem do bebé. Nos primeiros meses de vida, a respiração é irregular, ou seja, vai de profunda a superficial e de rápida a lenta em segundos. Às vezes parece suspirar ou ficar ofegante por alguns segundos.

10. Descamação na pele: o bebé passou meses dentro da barriga e envolto em líquido. Ao nascer, a pele seca rapidamente. Por isso, é comum a pele do bebé escamar nas primeiras semanas de vida, principalmente nos pés e nas mãos. Quanto maior a idade gestacional, maior é a probabilidade de que isto aconteça.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas