Desenvolvido método de estimar risco absoluto de demência a 10 anosNotícias de Saúde

Quinta, 13 de Setembro de 2018 | 27 Visualizações

Fonte de imagem: Lund University

Uma equipa de investigadores desenvolveu uma forma de estimar o risco absoluto de se desenvolver demência no espaço de 10 anos.
 
O novo método foi desenvolvido por Ruth Frikke-Schmidt, docente na Universidade de Copenhague e no Rigshospitalet, o Hospital Nacional da Dinamarca e poderá ajudar na prevenção precoce da doença em indivíduos de alto risco.
 
Para o estudo, os investigadores analisaram dados de 104.537 pessoas da cidade de Copenhague e cruzaram essa informação com diagnósticos de demência. 
 
Os investigadores apuraram que uma combinação de idade, sexo e uma variação comum no gene apolipoproteína E (APOE) poderia identificar os grupos de alto risco, com 7% de risco para mulheres e 6% de risco para os homens de 60 a 69 anos de idade, 16% e 12% de risco, respetivamente, para mulheres e homens com 70 a 79 anos de idade e 24% e 19% de risco, respetivamente, para os de 80 anos e mais de idade.
 
O gene APOE é fundamental para metabolizar o colesterol e para remover a proteína amiloide-beta do cérebro de doentes com a doença de Alzheimer.
 
Apesar de não existir ainda um tratamento eficaz para a demência, conseguir reduzir os fatores de risco poderá oferecer o potencial de atrasar ou até mesmo prevenir a doença.
 
“Recentemente, foi estimado que um terço da demência pode muito provavelmente ser evitada. Segundo a Comissão Lancet, a intervenção precoce na hipertensão, fumar, diabetes, obesidade, depressão e perda auditiva pode desacelerar ou prevenir o desenvolvimento da doença”, concluiu Ruth Frikke-Schmidt.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Canadian Medical Association Journal”

Notícias Relacionadas