Crianças introduzidas a comida sólida mais cedo em risco de obesidadeNotícias de Saúde

Sábado, 11 de Abril de 2020 | 60 Visualizações

Fonte de imagem: WebMD

Investigadores verificaram que crianças que foram introduzidas a comidas sólidas mais cedo têm um maior risco de sofrerem de obesidade.
 
A investigação verificou que crianças que foram introduzidas às comidas sólidas antes ou durante os três meses de idade sofreram mudanças nos níves de bactérias intestinais e ácidos gordos de cadeia curta.
 
Estudos anteriores associaram a introdução precoce de comidas sólidas a uma maior probabilidade de obesidade infantil, o que pode ser causada pela alteração da população bacteriana intestinal.
 
Os investigadores entrevistaram as mães de bebés de três meses acerca das suas dietas e outros fatores, para além de também recolherem amostras de fezes das crianças. 
 
Foram analisados os dados de 67 crianças, e os investigadores compararam o período de introdução de comidas sólidas às espécies bacterianas encontradas nas amostras dos bebés dos 3 aos 12 meses.
 
Os investigadores concluíram que as amostras recolhidas de crianças que foram introduzidas a comidas sólidas antes dos 3 meses continham uma maior diversidade de bactérias, o que indica uma população bacteriana intestinal, ou microbioma, diversa, comparados com as amostras de crianças que começaram mais tarde.
 
Estudos anteriores relacionaram níveis mais elevados de ácido butírico e de outros ácidos gordos de cadeia curta em adultos com riscos acrescidos de obesidade, diabetes e hipertensão. 
 
Os investigadores descobriram que os bebés que começaram a ingerir alimentos sólidos aos três meses tinham concentrações significativamente mais elevadas de ácido butírico, bem como de ácidos gordos totais de cadeia curta, aos 12 meses, mas não aos 3 meses, o que poderia indicar um impacto retardado da introdução precoce de alimentos sólidos.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “BMC Microbiology”

Notícias Relacionadas