Compostos do chá verde e vinho tinto podem bloquear a formação de metabolitos tóxicosNotícias de Saúde

Terça, 10 de Julho de 2018 | 61 Visualizações

Fonte de imagem: Sir Jason Winters

A maioria das pessoas com doenças metabólicas hereditárias nasceu com um gene defeituoso que provoca uma deficiência de uma enzima vital.
 
Uma vez que não há cura, muitos doentes com perturbações metabólicas congénitas têm de seguir uma dieta muito rigorosa e exigente durante toda a vida.
 
Um novo estudo da Universidade de Tel Aviv, Israel, liderado por Ehud Gazit e Shira Shaham-Niv, descobriu que certos compostos encontrados naturalmente no chá verde e vinho tinto conseguem bloquear a formação de metabolitos tóxicos.
 
Os investigadores consideraram dois compostos: (1) galato de epigallocatechin (EGCG, sigla em inglês), encontrado no chá verde; e (2) ácido tânico, encontrado no vinho tinto, que se sabe que previne a formação de estruturas amiloides tóxicas que causam doenças neurodegenerativas como o Alzheimer and Parkinson.
 
“No caso de doenças metabólicas congénitas, o corpo não produz uma enzima metabólica vital”, explicou Shaham-Niv. “Como resultado, os metabolitos – substâncias que são, entre outras coisas, os blocos de construção do ADN e proteínas – acumulam no corpo. Essa acumulação descontrolada é tóxica e pode causar perturbações graves do desenvolvimento e mentais. O novo estudo demonstra mais uma vez a capacidade da natureza de produzir o melhor candidato para fármacos de tratamento das piores doenças humanas”. 
 
A fenilcetonúria (PKU, sigla em inglês), um distúrbio do metabolismo do aminoácido fenilalanina, é uma doença metabólica hereditária comum. As crianças com PKU têm de seguir uma dieta rigorosa sem fenilalanina durante toda a vida.
 
“Mas isso é uma tarefa muito difícil, uma vez que a maior parte dos alimentos que consumimos têm fenilalanina”, afirma Shahan-Niv.
 
O objetivo do estudo atual foi verificar se as moléculas identificadas anteriormente nos estudos sobre as doenças amiloides e que inibem a formação de agregados amiloides também poderiam contrariar o processo de formação amiloide de metabolitos em doenças metabólicas.
 
A nova investigação focou a atenção no EGCG e no ácido tânico, tendo as duas substâncias sido testadas em três metabolitos relacionados com três doenças metabólicas inatas: adenina, tirosina cumulativa e fenilalanina. Os resultados foram promisores. Tanto o ácido tânico como o EGCG bloquearam eficazmente a formação de estruturas amiloides tóxicas.
 
"As ferramentas que desenvolvemos são inovadoras e têm um grande potencial de vir a ajudar uma ampla gama de doentes no futuro", acreditam os investigadores.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Communications Chemistry”

Notícias Relacionadas