Comida picante aumenta a longevidadeNotícias de Saúde

Segunda, 31 de Agosto de 2015 | 76 Visualizações

Fonte de imagem: nexpanama

Um estudo realizado por cientistas da universidade de Pequim, na China, sugere que o consumo frequente de comida picante pode aumentar a longevidade e diminuir o risco de aparecimento de cancro e doenças cardíacas e respiratórias.

Na investigação, os cientistas da Universidade de Pequim analisaram o estado de saúde e a ingestão de alimentos de meio milhão de chineses e concluíram que as pessoas que comiam alimentos picantes entre seis a sete vezes por semana viam reduzido em 14 por cento o risco de morte prematura, comparativamente com quem só consumia este tipo de alimentos uma vez por semana.

A comida picante foi também associada a um menor risco de morte por doenças infeciosas nas mulheres e cancro e doenças respiratórias e cardíacas nos dois sexos, efeitos positivos que são potenciados em pessoas abstémias.

A malagueta, um dos condimentos mais utilizados na China, contém capsaicina, um componente que, segundo os autores do estudo, tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e contra a obesidade.

investigação, publicada no British Medical Journal, segue a linha de estudos anteriores que evidenciaram os benefícios da comida picante para a saúde. No entanto, os investigadores do centro de ciências da saúde da universidade de Pequim defendem que os dados obtidos são de “observação” e que ainda são necessários mais estudos, pois os benefícios da ingestão de comida picante podem estar associados a outros fatores, como hábitos dietéticos, estilo de vida e estatuto socioeconómico. 

Partilhar esta notícia
Referência
British Medical Journal

Notícias Relacionadas