Combinação de fármacos poderosa contra cancro da mama triplo negativoNotícias de Saúde

Domingo, 08 de Outubro de 2017 | 19 Visualizações

Fonte de imagem: MindFullyAlive

A combinação inovadora de um fármaco quimioterápico e de um inibidor de uma proteína revelou-se poderosa contra o cancro da mama triplo negativo.
 
O cancro da mama triplo negativo é um subtipo de cancro que não expressa o recetor hormonal ou HER2. Afeta cerca de 15% dos casos de cancro da mama e tende a ser mais agressivo.
 
Sabia-se que a inibição de proteínas conhecidas como cinases dependentes de ciclina (CDK) poderia ser eficaz contra o cancro da mama triplo negativo. Para este estudo, a equipa testou então um inibidor da CDK chamado CYC065, assim como o fármaco quimioterápico eribulina, que já tinha revelado efeitos promissores em ensaios clínicos com aquele tipo de cancro.  
 
Num estudo pré-clínico conduzido por uma equipa de investigadores liderados por Jacqueline S. Jeruss do Centro Integrado de Oncologia da Universidade de Michigan, EUA, a equipa testou os fármacos separadamente, em linhas celulares de cancro da mama e em ratinhos com a doença. Posteriormente, os investigadores testaram uma combinação de ambos os fármacos.
 
Foi observado que as células cancerígenas tratadas com a combinação dos fármacos ficaram com uma menor propensão para se multiplicarem ou migrarem na cultura celular. Nos ratinhos com cancro as células tornaram-se menos funcionais e verificou-se tumores mais pequenos.
 
Os investigadores identificaram, ainda, fatores de transcrição específicos que tinham sido influenciados pelo inibidor CYC065. Em conjunto, estes processos promoveram a morte das células cancerígenas. 
 
Jacqueline Jeruss, comentou os resultados do estudo: “neste estudo pré-clínico demonstrámos que a combinação do CYC065 e da eribulina exerciam um efeito sinergético contra o crescimento e progressão do cancro da mama triplo negativo”. 
 
“Os novos alvos terapêuticos e estratégias de tratamento são cruciais para aumentar os resultados nas mulheres com este subtipo agressivo de cancro da mama”, acrescentou a investigadora.
 
A próxima etapa será efetuar um ensaio clínico que irá testar a combinação dos fármacos em pacientes com cancro da mama triplo negativo.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “Oncotarget”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados