Coimbra vai ter centro de formação em cibersegurança na SaúdeNotícias de Saúde

Segunda, 27 de Novembro de 2017 | 8 Visualizações

Fonte de imagem: IT Security

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) vai passar a dispor de um centro de formação em cibersegurança na saúde, que pretende ser diferenciador ao nível da investigação da segurança digital dos vários dispositivos clínicos.

Em declarações à agência Lusa, Henrique Martins, presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), cuja Academia assinou hoje um protocolo com o CHUC para a criação do Centro de Desenvolvimento e Capacitação em Cibersegurança na Saúde, destacou a localização de Coimbra no centro do país “a meia distância” das universidades às quais se destina o polo de formação.

“Coimbra tem faculdade de Medicina, de Farmácia, tem Enfermagem e está no centro. É fácil reunir aqui estudantes de outras partes do país. E ter um polo tecnológico de saúde que se está a desenvolver e que beneficia muito de ser capacitado com um ‘know-how’ de cibersegurança, pode ser um fator diferenciador”, afirmou.

Por outro lado, a Academia SPMS pretende que o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra passe a desempenhar um papel “fundamental” na investigação da cibersegurança de dispositivos clínicos – quer em termos de ‘hardware’, quer no ‘software’ utilizado – os quais, embora sejam rotulados de seguros ao nível da cibersegurança aquando da sua produção, “têm de ser experimentados”.

“E essa experimentação exige um centro hospitalar como este, o maior do país”, defendeu Henrique Martins, que denominou o processo de teste de equipamentos e dispositivos como “ensaios clínicos de cibersegurança”.

Na sessão de hoje, sobre os desafios da transformação digital em curso no CHUC, nomeadamente a harmonização de ‘software’ e a implementação de novas ferramentas digitais no atendimento a utentes e nos processos clínicos, o presidente do conselho de administração do CHUC, Fernando Regateiro, garantiu que a instituição quer “dar o salto, com segurança, cautela e de uma forma determinada” para possuir o mesmo sistema em todos os espaços do centro hospitalar.

Sobre a criação do centro de formação em cibersegurança, Fernando Regateiro disse à Lusa que o protocolo hoje assinado demonstra que o CHUC deseja “trabalhar com as instituições nacionais” e que não se trata só de ceder o espaço para o polo de formação, mas também de se constituir como um centro de inovação na área da segurança digital.

O Centro de Desenvolvimento e Capacitação em Cibersegurança na Saúde pretende, entre outros objetivos e no âmbito do protocolo hoje assinado, contribuir para a divulgação para todo o Serviço Nacional de Saúde das melhores práticas em cibersegurança, promover a formação e capacitação em tecnologias de informação e cibersegurança para profissionais de saúde e também integradas em currículos de universidades e politécnicos e apoiar o desenvolvimento de inovações tecnológicas em matéria de ciberdefesa relevante aos riscos próprios da saúde.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas