Cogumelo mágico pode ser o segredo para curar a depressãoNotícias de Saúde

Quarta, 18 de Maio de 2016 | 61 Visualizações

Fonte de imagem: hypescience

As pessoas que sofrem de depressões consideradas como ‘incuráveis’ podem ver a sua condição curada muito em breve graças a uma descoberta feita no Imperial College de Londres, no Reino Unido.

O cogumelo mágico pode ser a solução para o tratamento de depressões consideradas ‘incuráveis’.

De acordo com um estudo do Imperial College de Londres, no Reino Unido, este fungo possui um alucinogénio químico que parece ter efeitos benéficos no tratamento desta condição mental, como foi relatado numa publicação feita no site The Lancet Psychiatry.

“Promissor”, mas não ainda certo, o resultado da investigação pode dar azo a novas terapêuticas contra a depressão, como dizem os mentores do estudo citados pela BBC.

Participaram nesta investigação 12 pessoas: nove apresentavam um diagnóstico de depressão severa e três de depressão moderada. Dos pacientes com depressão severa, destaca-se um que possuía esta condição há já três décadas.

Segundo a Nature, todos os participantes já tinham sido submetidos a, pelo menos, dois tratamentos diferentes, mas sem sucesso. Mas um dos participantes tinha tentado 11 diferentes terapias.

O estudo e o uso de psilocibina

Na parte prática da investigação, os pacientes tiveram que tomar doses pequenas de psilocibina, o alucinogénio químico presente no cogumelo mágico. Depois, a dose foi reforçada de forma agressiva. Em ambas as fases, ouvia-se música clássica e estava presente um psicólogo.

Embora uma boa parte dos participantes tenham mostrado uma queda notória nos sintomas de depressão – à boleia da “libertação e lubrificação da mente” provocada pelo cogumelo, cujo alucinogénio atuou diretamente nos recetores cerebrais que respondem à hormona serotonina, que regula o humor e o estado de alerta - os efeitos secundários parecem preocupar o corpo clínico. Ansiedade, dores de cabeça e náusea foram algumas das consequências.

Uma vez que se tratou de uma investigação com um número reduzido de participantes e sem a existência de um grupo de controlo, os mentores do estudo defendem que são necessárias mais experiências para determinar a eficácia (e possíveis consequências) da descoberta.

Ver estudo aqui

Foto: Imperial College London

Under the influence of LSD, the brain's visual cortex has increased connectivity with other brain regions (right) than when imaged under placebo (left).

 

Partilhar esta notícia
Referência
POR DANIELA COSTA TEIXEIRA

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados