Cinco conselhos para um inverno saudável na terceira idadeNotícias de Saúde

Terça, 03 de Novembro de 2015 | 160 Visualizações

Fonte de imagem: fralmax

Com a descida das temperaturas as pessoas mais velhas precisam de ter cuidados redobrados. Siga estes conselhos.

As temperaturas mais baixas pedem cuidados extra, especialmente na terceira idade.

Em comunicado enviado às redações o Núcleo de Estudos de Geriatria (GERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) lembra que todos os anos o frio é responsável pelo internamento e morte de muitos idosos e deixa cinco conselhos para que a terceira idade tenha um inverno mais saudável.

João Gorjão Clara, coordenador do GERMI, afirma que estes conselhos são válidos para todos os idosos mas em particular para os doentes crónicos. “A doença coronária, a insuficiência cardíaca, a hipertensão, a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) e diabetes podem agravar-se quando as temperaturas estão mais baixas. Adotar uma atitude preventiva pode ajudar estes doentes a evitar complicações das suas patologias que podem levar a internamentos prolongados ou mesmo à morte”.

1. Alimentação equilibrada e hidratação. Uma alimentação equilibrada, repleta de frutas, vegetais e fontes de proteína ganha maior importância durante o inverno. O corpo precisa das calorias dos alimentos para manter a temperatura e das vitaminas das frutas e vegetais para combater as infeções. E beber um litro e meio de água por dia é tão importante como comer adequadamente. Esta água pode ser ingerida na forma de chás, infusões, sopas ou caldos. Dê preferência a bebidas quentes para ajudar a manter o calor corporal. Deve ainda evitar a ingestão de bebidas alcoólicas que fazem com que o corpo perca temperatura devido à dilatação dos vasos sanguíneos.

2. Vestir roupa e calçado quente e com bom isolamento térmico. Quando está frio deve procurar preservar a temperatura corporal, evitando a exposição prolongada ao frio e vestindo roupa confortável e quente antes de sair de casa. Proteger a cabeça e pescoço com gorros e cachecóis é essencial, bem como luvas para proteger as mãos. Os sapatos devem ser quentes, impermeáveis, fáceis de apertar (velcro e fechos em vez de atacadores, que podem soltar-se e provocar quedas) e com solas antiderrapantes. As solas de borracha devem evitar-se pois escorregam no chão húmido, recomenda o mesmo comunicado.

3. Vacinação. A vacinação contra as infeções respiratórias é essencial, em particular para os idosos portadores de doenças crónicas. As vacinas da gripe e da pneumonia são as mais recomendadas.

4. Exercício físico em vez da braseira. O exercício físico recomenda-se não só porque contribui para a manutenção da integridade dos movimentos e para a saúde cardiovascular mas também porque produz calor e ajuda a manter a temperatura corporal. Mesmo sem sair à rua, tente manter a atividade física dentro de casa, subindo e descendo escadas ou caminhando no corredor, por exemplo. O calor gerado pelo exercício é preferível aos sistemas de aquecimento, que são uma das maiores ameaças à segurança dos mais velhos nos dias mais frios. Utilize com cuidado as lareiras e todos os sistemas de aquecimento que libertem monóxido de carbono, mantendo sempre a casa bem ventilada. As braseiras nunca deverão ser utilizadas.

5. Atenção à medicação. Sempre que o seu médico lhe receitar um medicamento, faça perguntas. Como se chama, para que serve, qual é o efeito, como se toma, quanto tempo dura o tratamento e se há efeitos secundários a ter em conta. Este conselho é válido para o ano inteiro, mas em particular para o inverno. Se tem uma doença crónica e toma medicamentos diariamente, tenha essa medicação em conta antes de tomar qualquer outro fármaco. Se o tempo frio trouxer uma constipação ou mais dores articulares não ignore estes sintomas, recomenda o mesmo comunicado.

Partilhar esta notícia
Referência

Notícias Relacionadas