Chá de camomila pode aumentar longevidadeNotícias de Saúde

Segunda, 25 de Maio de 2015 | 210 Visualizações

Embora seja famoso pelas suas propriedades calmantes, o chá de camomila pode ter outros benefícios, em especial para as mulheres: de acordo com um novo estudo norte-americano, a bebida tem potencial para aumentar a longevidade no sexo feminino, diminuindo o risco de morte precoce.

A investigação, desenvolvida por cientistas da Universidade do Texas, nos EUA, analisou, as vantagens deste chá para homens e mulheres de descendência mexico-americana com mais de 65 anos, já que, por tradição, este grupo populacional tende a utilizar a camomila com frequência como remédio natural para tratar diversos tipos de problemas de saúde. 

Ao longo de sete anos, os investigadores acompanharam um total de 1.677 homens e mulheres, analisando dados de censos às populações hispânicas realizados nos EUA. Entre os participantes no estudo, cerca de 14% bebiam chá de camomila regularmente, revela um comunicado divulgado pela universidade norte-americana.

Os investigadores observaram que o consumo regular de chá de camomila aparecia, nas mulheres, associado a um risco de morte precoce 29% inferior, independentemente da demografia, das condições de saúde e do estilo de vida, um efeito que, para surpresa da equipa, não se observou nos homens.

"A razão que justifica esta diferença ainda não é clara, embora saibamos que as mulheres são consumidoras mais frequentes de chá de camomila do que os homens", afirma Bret Howrey, um dos autores do estudo publicado recentemente na revista científica The Gerontologist.

Para Howrey, "esta diferença poderá explicar-se pelos papéis tradicionais associados a cada género [neste tipo de população] e que estabelecem que a mulher é responsável pela lida da casa e pela saúde da família, mas pode também refletir a grande preferência do sexo feminino pela medicina tradicional baseada nas plantas".

Apesar de ainda não conseguirem explicar por que motivo o chá de camomila reduz o risco de mortalidade precoce, os investigadores acreditam, com base em estudos anteriores, que este efeito protetor pode dever-se, entre outros fatores, à colaboração desta planta no tratamento de problemas como a hiperglicemia, as doenças gástricas, a diabetes ou a ansiedade.

A camomila é também conhecida por baixar o chamado colesterol "mau" e por funcionar como antioxidante, antimicrobiano e anti-inflamatório.

Estudo - Grávidas não devem beber álcool, mesmo em pequenas quantidades

Partilhar esta notícia
Referência
Revista científica The Gerontologist

Notícias Relacionadas