Células CAR T modificadas para detetarem células leucémicasNotícias de Saúde

Sábado, 11 de Abril de 2020 | 34 Visualizações

Fonte de imagem: Medical News Today

Investigadores do Hospital Pediátrico de Los Angeles, Estados Unidos da América, modificaram células T para identificarem e atacarem vários pontos de células de Leucemia Linfoblástica Aguda.
 
A Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA) é o cancro mais comum nas crianças. O tratamento através de células CAR T foi desenvolvido para tratar os casos onde se verifica que a quimioterapia não é eficaz.
 
O tratamento usa células T de doentes, isola-as e modifica-as geneticamente para que reconheçam CD-19, uma proteína encontrada em células cancerígenas. Quando as células T são reintroduzidas no doente, o sistema imunitário ataca o cancro. 
 
Apesar do tratamento inicial com as CAR T ter produzido resultados, quase metade dos doentes que receberam este tratamento mais tarde tiveram recaídas porque o cancro parou de produzir a proteína CD-19 e tornou-se invisível para as células T.
 
Os investigadores colaboraram para criar uma célula T que identifica não só CD-19 como também outras duas proteínas encontradas em células leucémicas, denominadas CD-20 e CD-22.
 
As novas células CAR T, com o nome de células TriCAR T, verificaram-se mais eficazes ao longo da investigação. Os investigadores concluíram que mesmo após as células leucémicas terem parado de produzir CD-19, estas novas células foram eficazes a atingir as células cancerígenas.

Partilhar esta notícia
Referência
Descoberta publicada na revista “Leukimia”

Notícias Relacionadas

Info-Saúde Relacionados