Capacidade de levantar pesos rapidamente pode significar maior longevidadeNotícias de Saúde

Quarta, 17 de Abril de 2019 | 57 Visualizações

Fonte de imagem: Popsugar

O aumento da potência muscular poderá prolongar a longevidade, é a conclusão de um novo estudo.
 
“Levantarmo-nos de uma cadeira na velhice ou chutar uma bola dependem mais da potência muscular do que da força muscular, embora a maioria dos exercícios com pesos se concentrem nesta última”, explicou o autor do estudo Cláudio Araújo da Clínica de Medicina do Exercício – CLINIMEX, no Rio de Janeiro, Brasil.
 
A potência depende da capacidade de gerar força e velocidade e de coordenar movimentos. É gerada mais potência se a mesma quantidade de trabalho for desempenhada num período mais curto de tempo ou quando é executado mais trabalho durante um mesmo período.
 
Subir escadas requer potência: quanto mais rapidamente se sobe, mais potência se necessita. Por outro lado, empurrar um objeto pesado requer força. A potência muscular começa a diminuir gradualmente a partir dos 40 anos de idade.
 
Para a sua investigação, a equipa de Cláudio Araújo contou com a participação de 3.878 indivíduos com 41 a 85 anos de idade e que não eram atletas. 68% dos participantes eram homens.
 
Os indivíduos foram submetidos a um teste de máxima potência muscular através de um exercício conhecido como remada alta, entre 2001 e 2016. O valor mais elevado atingido após duas ou três tentativas com o aumento dos pesos foi considerado como a potência máxima muscular e expresso relativamente ao peso corporal.
 
Os valores foram divididos em quartis para a análise da sobrevivência e analisados segundo o sexo.
 
Durante um período mediano de 6,5 anos de acompanhamento, morreram 247 (10%) homens e 75 (6%) mulheres. Os participantes que tinham uma potência muscular máxima acima da mediana para o seu sexo, situados nos quartis três e quatro, apresentavam melhor sobrevivência. 
 
Os participantes nos quartis dois e um apresentavam um risco quatro a cinco vezes e 10 a 13 vezes, respetivamente, superior de morrerem, em comparação com os participantes com potência muscular máxima acima da mediana.

 

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo apresentado no Congresso EuroPrevent 2019

Notícias Relacionadas