Caminhar todos os dias faz melhorar a função cerebralNotícias de Saúde

Quinta, 04 de Janeiro de 2018 | 40 Visualizações

Fonte de imagem: FOTILE

Dar um passeio diário pode ajudar o cérebro a manter-se saudável, ajudando na resiliência da função cognitiva, atestou um estudo recente.
 
Uma equipa de investigadores da do Instituto Semel para Neurociências e Comportamento Humano, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, EUA, contou, para o estudo, com a participação inicial de 29 indivíduos com 60 anos de idade ou mais, 26 dos quais completaram o estudo em mais de dois anos.
 
Os participantes foram divididos em dois grupos: um grupo de pouca atividade física em que os participantes caminhavam 3 ou menos quilómetro por dia. O outro grupo, de muita atividade física, compreendia pessoas que caminhavam mais de 3 quilómetros por dia.
 
Nenhum dos participantes tinha diagnóstico de demência no início do estudo, mas relataram ter problemas de memória. 
 
Os voluntários foram submetidos a ressonância magnética para determinar o volume e espessura do hipocampo, a região do cérebro associada à formação e armazenamento da memória e orientação espacial, e assim verificar o efeito da atividade física sobre a capacidade cognitiva.  Estudos anteriores sugeriram que as dimensões do hipocampo indicavam uma consolidação da memória mais eficaz.
 
Os investigadores deram igualmente uma data de testes neuro-psicológicos aos participantes para consolidar a avaliação da sua capacidade cognitiva.
 
Foi observado que os participantes no grupo de muita atividade física apresentavam um hipocampo mais espesso, assim como as regiões do cérebro associadas ao mesmo, em relação aos participantes do grupo de pouca atividade física.
 
O grupo de muita atividade revelava também uma melhor capacidade de atenção, um processamento da informação mais rápido e uma função executiva mais eficiente, incluindo a memória funcional, esta última a que usamos diariamente para tomar decisões espontâneas. 
 
No entanto, não foram encontradas diferenças significativas entre ambos os grupos no que diz respeito usar a memória para recordar.

Partilhar esta notícia
Referência