Beber chá pode estar associado a maior longevidade e menos doençasNotícias de Saúde

Terça, 14 de Janeiro de 2020 | 66 Visualizações

Fonte de imagem: TodayShow

Um estudo desenvolvido na Academia Chinesa de Ciências Médicas em Pequim revela que beber chá, pelo menos três vezes por semana, pode aumentar a longevidade e proteger contra problemas de saúde.
 
Xinyan Wang, autor principal, explica que o consumo habitual de chá está associado a menos riscos de doença cardiovascular e de morte por qualquer causa. Os efeitos benéficos são mais predominantes no consumo de chá verde e de longa duração.
 
A análise para este estudo incluiu 100.902 participantes chineses sem historial de ataque cardíaco, AVC ou cancro que foram divididos em dois grupos: os que bebem chá pelo menos três vezes por semana e aqueles que não bebem chá ou bebem esporadicamente. 
 
Os investigadores concluíram que o consumo habitual de chá estava associado a mais anos de vida e saudáveis. 
 
Por exemplo, foi estimado que alguém na casa dos 50 anos, habitual consumidor de chá, desenvolveria doença coronária 1,41 anos mais tarde e teria mais 1,26 anos de vida que os não consumidores de chá.
 
Os consumidores de chá teriam ainda 20% menos risco de incidência de doença cardíaca e AVC, 22% menos de risco de morte por estes problemas e 15% menos risco de morte por qualquer causa.
 
Foram ainda comparados os comportamentos de consumo regular e casual num subgrupo de 14.081 participantes. 
 
Os consumidores habituais de chá que mantiveram o consumo regular durante os 8 anos do estudo tinham 56% menos risco de morte por problemas cardíacos ou AVC e menos 29% de risco de morte por qualquer causa, comparando com os não consumidores ou consumidores não habituais.
 
O tipo de chá mais benéfico analisado foi o chá verde, em comparação com chá preto. Os compostos bioativos presentes no chá não são armazenados no corpo, pelo que só um consumo regular protege ao longo do tempo.

Partilhar esta notícia
Referência
Estudo publicado na revista “European Journal of Preventive Cardiology”

Notícias Relacionadas